Bruno Cassucci e Gabriel Carneiro 
19/10/2016
09:00
São Paulo (SP)

Pedro Henrique virou titular do Corinthians em um momento de dificuldades do setor. Felipe havia sido vendido ao Porto (POR), Balbuena convocado à seleção do Paraguai e as constantes lesões de Vilson e Yago não permitiam sequências de jogos para nenhum dos dois. Aos 20 anos (ele fez 21 só há alguns dias), ele passou por um importante teste no dia 22 de junho: uma falha no recuo de bola causou o gol da vitória do Atlético-MG por 2 a 1, na décima rodada do Brasileirão. O garoto saiu do Mineirão chorando, consolado por companheiros e até adversários. Após 118 dias, Pedro voltará ao estádio como titular do Corinthians. Com a missão de espantar os fantasmas.


Esses fantasmas, aliás, também assustam o Corinthians. Na última vez em que decidiu uma fase da Copa do Brasil fora de casa, foi no Mineirão que o Corinthians caiu. Comandado por Mano Menezes em 2014, o Timão havia vencido o jogo de ida por 2 a 0, em Itaquera. Em Belo Horizonte, o placar foi aberto a favor dos paulistas logo aos quatro minutos de bola rolando, mas o Galo marcou com Luan, Guilherme (duas vezes) e Edcarlos e garantiu a classificação para as semifinais - naquele ano, o time de Levir Culpi foi campeão após eliminar Flamengo e Cruzeiro posteriormente.

Em 2015, o Corinthians foi eliminado em casa pelo Santos, logo nas oitavas de final, e neste ano começou sua trajetória na mesma fase, tendo eliminado o Fluminense novamente jogando na Arena de Itaquera. Agora o desafiante é o Cruzeiro, que recebe o Timão às 21h45, pela volta da fase de quartas de final. Vale lembrar que o jogo de ida terminou 2 a 1 para o Timão, que tem a vantagem do empate e pode até perder se fizer dois ou mais gols na casa do adversário.

Por uma vaga nas semifinais da Copa do Brasil, quando pode enfrentar Palmeiras ou Grêmio, o Corinthians e o jovem zagueiro Pedro Henrique precisam espantar seus fantasmas.

Pedro Henrique esqueceu os erros com boas atuações nos jogos seguintes, contra Santa Cruz, América-MG, Flamengo e Chapecoense, jogo em que sofreu uma lesão que o tirou de ação. Ele voltou ao Corinthians há duas partidas e tem atuado como titular, com Vilson e Léo Santos como opções. Caso o camisa 34 tenha boa atuação e ajude o Corinthians a passar em branco defensivamente, os traumas estarão superados.