Gabriel Carneiro
08/10/2017
07:00
São Paulo (SP)

O Corinthians apostará na criatividade para reforçar o elenco em 2018. Da mesma maneira como ocorreu neste ano, sem tantos recursos disponíveis para investir, a diretoria seguirá apostando em diferentes modelos de negócio para dar mais opções ao técnico Fábio Carille. Uma das principais armas do clube no mercado será a realização de trocas: hoje, o Timão tem 12 jogadores do elenco profissional emprestados e ainda mais alguns pouco utilizados no grupo atual.

A ideia do Corinthians é repassar jogadores sem espaço ou que voltam de empréstimo e não têm perspectiva de utilização para contratar caras novas. Um exemplo disso é a negociação com o Bahia pelo meia Zé Rafael: o Timão pensa em ceder Mendoza, que está emprestado ao Bahia neste semestre, e Moisés, que virou terceira opção da lateral esquerda atualmente. O processo é semelhante ao que houve após o Paulistão por Clayson, por quem o Corinthians cedeu Léo Artur, Claudinho e mais R$ 3,5 milhões à Ponte Preta.

Além de Mendoza, o Timão tem os seguintes jogadores emprestados: Cristian (Grêmio), Douglas (Avaí), Lucca e Yago (Ponte Preta), Gustavo (Goiás), Alan Mineiro (Vila Nova), Jean (Vasco), Marlone (Atlético-MG), Luidy (Figueirense), Guilherme (Atlético-PR) e Bruno Paulo (Santa Cruz). Deles, apenas Cristian (contrato termina) e Guilherme (tem mais um ano de empréstimo) não voltam em 2018. Os outros dez nomes são considerados ativos no mercado, ainda que os desempenhos de Douglas, Jean e Lucca sejam vistos com bons olhos.

Além de usar trocas, o Corinthians também trabalha seu planejamento em busca de jogadores em fim de contrato com seus clubes. Exemplo disso é o atacante Júnior Dutra, que atualmente defende o Avaí, mas tem vínculo somente até 31 de dezembro. O jogador de 29 anos negocia um contrato válido por duas temporadas com o Timão a partir de 2018, mas o caso ainda é nebuloso e causou mal estar nos bastidores nos últimos dias.

Em 2017, além de Clayson, o Corinthians contratou Luidy, Jô, Kazim, Gabriel, Paulo Roberto, Fellipe Bastos, Pablo (empréstimo), Jadson e Clayton (empréstimo). O investimento total foi pouco superior a R$ 10 milhões na formação do elenco campeão paulista e hoje líder disparado do Brasileirão.