Romero marcou dois gols contra o Shakhtar (Foto: Daniel Augusto Jr)

Romero marcou dois gols contra o Shakhtar (Foto: Daniel Augusto Jr)

Bruno Cassucci
21/01/2016
08:15
Enviado especial a Orlando (EUA)

Autor de dois gols na vitória do Corinthians por 3 a 2 sobre o Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, pela Florida Cup, o atacante Ángel Romero ganhou elogios do técnico Tite após a partida. O comandante alvinegro revelou-se até surpreso com o desempenho do paraguaio.

No fim de 2015 e no início desta temporada Romero atuou mais aberto pelo lado direito, diferentemente de como Tite imaginava quando assumiu o comando do Timão.
 
- Ele está me surpreendendo, porque eu imaginava ele jogando por dentro. Vou falar da parte tática: imaginava que o Romero fosse um jogador que atacasse o espaço na faixa central, mas ele começou a desenvolver uma maior capacidade na faixa lateral. Não muito como construtor. Jogamos com quatro jogadores de meio de campo, porque Danilo não é 9, e o Romero tem se adaptado a essa função, crescido... Ele trabalha muito, é persistente, ele tem marca de quem chega e cresce - declarou o treinador.


Outro que ganhou elogios foi o zagueiro Yago, de 20 anos, substituto de Gil durante o jogo da Florida Cup. Embora peça a contratação de um novo defensor, Tite destacou o fato de o jovem marcador ser constante em suas atuações.

- Todos precisam de tempo e rodagem para crescer. O Yago é muito regular, mas não ruim, aquele nota cinco, seis, ele mantém um padrão eficiente, sempre nota sete. Daqui a pouco é oito! Ele dá segurança, atingiu maturidade, com nível de concentração. O quanto pode evoluir é o campo que dirá. Alguns demoram... O Malcom também tem evoluído barbaridade. Felipe também, hoje é inconteste, um zagueiro para o Corinthians ter pelos próximos oito anos - comentou Tite.

Por fim, o treinador falou sobre Guilherme, novo reforço. Embora ainda não tenha trabalhado como o meia-atacante, que estava no Antalyaspor, da Turquia e faz pré-temporada em São Paulo, Tite já pensa em como irá escalar o jogador.

- Ele pode jogar de camisa 9, mas de movimentação, flutuando. Não posso deixar ele fixo na frente, como pivô, mas como um atacante que venha compor no meio de campo. Ideia do Corinthians é ter superioridade numérica no campo. Agora o Danilo tem sido um camisa 9 móvel, função que o Guilherme pode executar.