Bruno Henrique - Corinthians (Foto: Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians)

Bruno Henrique  se diz preparado para desafio no Corinthians (Foto: Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians)

Guilherme Amaro
04/02/2016
07:30
São Paulo (SP)

Bruno Henrique tem uma grande responsabilidade no Corinthians em 2016. O volante iniciou o ano como titular, substituindo Ralf, ídolo da torcida que ficou seis anos no clube e se transferiu para o futebol chinês. Ao ser questionado se estava preparado para o desafio, o camisa 25 não titubeou:

– Com certeza! Estou preparado para corresponder – afirmou o volante, em entrevista ao LANCE!.

Nesta quinta-feira, às 19h30, contra o Grêmio Osasco Audax, no Estádio José Liberatti, o volante tem mais uma chance de mostrar em campo o que diz. Bruno Henrique também já tem uma meta traçada para a temporada. Após ser titular em 2015 e sofrer uma lesão, ele viu o Corinthians ser hexacampeão brasileiro do banco de reservas. Agora, quer se firmar na equipe e conquistar mais títulos.

– Esse ano eu quero buscar minha titularidade, ter uma sequência de bastante jogos e poder ganhar títulos. Joguei bastante o Brasileirão do ano passado (22 partidas), mas não o campeonato todo. Vamos ter no começo do ano o Paulista e a Libertadores, e seria muito importante ganhar um título e me firmar cada vez mais no Corinthians. Essa é minha meta para 2016 – disse Bruno Henrique.

O novo dono da posição tem bastante diferença em relação a Ralf. Enquanto Bruno Henrique tem mais facilidade para chegar ao ataque e finalizar, o antigo camisa 5 ficava mais preso na marcação. A qualidade para apoiar o setor ofensivo tem explicação: o camisa 25 costumava a atuar como segundo volante, mas foi deslocado pelo técnico Tite.

Já adaptado à posição, Bruno Henrique não esconde o gosto por sair jogando, ir para o ataque e até tentar finalizar. Ele acredita, inclusive, que essa característica pode ser o diferencial para se destacar no time e surpreender os adversários.

– Minha característica é de segundo volante mesmo, cheguei no Corinthians assim. A adaptação de primeiro volante foi aqui, nunca tinha jogado nessa posição antes. Mas eu gostei muito de jogar nessa posição também, o Tite me dá liberdade para eu sair com bola dominada quando der, e o Rodriguinho e o Elias cobrem a minha posição. Gosto de pegar a bola e sair jogando, acho isso bem interessante. Pode ser meu diferencial. O fato de eu ter atuado muito tempo como segundo volante facilita – analisou.

Com objetivos traçados, Bruno Henrique está ciente de sua responsabilidade nesta temporada e acredita que corresponderá à altura. É o que a Fiel também espera.

Confira mais da entrevista exclusiva com Bruno Henrique:

Após a debandada, como analisa o time do Corinthians em 2016?
Demos boas provas na pré-temporada e contra o XV que nosso time pode render, apesar de estar no começo do ano. Saíram jogadores importantes, mas nosso grupo já era muito forte no ano passado. O torcedor espera que a gente dê uma resposta o mais rápido possível, e a gente quer isso também.

Acha que briga por títulos?
A gente sempre entra para brigar, independentemente de ter saído jogadores. O Corinthians sempre chega forte, o nosso grupo é muito bom e vamos brigar por títulos.

Quais são suas diferenças em relação ao Ralf?
O Ralf era um grande jogador, não tem nem o que discuritr. Era um cara que dava muita proteção para a zaga, é muito difícil encontrar atualmente um jogador com as características dele. Ele é mais defensivo e eu sou mais ofensivo, acho que essa é a principal diferença. Mas agora já estou adaptado a essa função de primeiro volante, já vinha jogando assim desde que cheguei aqui no Corinthians.

São mais difíceis esses primeiros jogos da temporada?
A gente sofre um pouco no começo até pegar ritmo de jogo, os times do interior começam a treinar antes. O que mais a gente espera é entrosar rápido. Nós estamos trabalhando bastante para isso. Talvez a gente sofra no começo, o que é normal também, com jogadores saindo e outros chegando. Mas queremos corresponder, o torcedor espera uma resposta rápida, e a gente espera fazer bons jogos neste início do Paulistão.

Qual recado você manda à Fiel?
Peço para o torcedor nos apoiar como sempre nos apoiou. Agora vamos precisar ainda mais porque teve saídas de jogadores e estamos reformulando. É um momento difícil. Que a gente caminhe juntos para ganhar títulos.