Bruno Cassucci
01/06/2016
23:30
São Paulo (SP)

O Corinthians dominou o Santos do primeiro ao último minuto, embora não tenha feito uma de suas melhores partidas no ano. Se nas duas últimas vitórias os elogios foram para a criatividade da equipe, a mobilidade do trio de meio de campo e o repertório ofensivo, no clássico os pontos fortes da equipe comandada por Tite foram outros: paciência e pragmatismo. O Timão venceu por 1 a 0, na noite desta quarta-feira, na Arena, pela quinta rodada.

A primeira virtude, aliás, faltou em alguns momentos do primeiro tempo. Com o rival todo no campo defensivo, o Timão até começou à seu estilo, com triangulações e apoio dos laterais, mas viu que seria difícil chegar trocando passes. A solução encontrada, então, foi cruzar bolas na área. Foram 39 durante o duelo, sendo 29 errados.

Depois, o Corinthians retomou as suas características, seguiu com mais de 60% de posse de bola, mas tinha um falso domínio, sem conseguir criar oportunidades. As poucas que surgiram, foram mal concluídas ou pararam em Vanderlei.

Aí que entra o pragmatismo. Se o resultado não fosse a vitória, talvez a crítica fosse pela falta de ousadia de Tite nas substituições, mas o gol de Giovanni Augusto premiou a insistência do treinador. Ele não abriu mão de seu esquema, não lançou o time ao ataque no embalo da torcida.

O Corinthians volta a vencer clássicos, chega ao terceiro triunfo consecutivo e ganha confiança para o Brasileirão. O atual campeão brasileiro dá demonstrações não só de que encorpou novamente, como de também de que brigará pelo hepta.