Gabriel Carneiro e Rodrigo Vessoni
02/08/2016
07:45
São Paulo (SP)

Mano Menezes, Tite ou Cristóvão Borges. O nome do treinador já não faz muita diferença em uma rotina recente do Corinthians no Campeonato Brasileiro: fechar os turnos na liderança. Foi assim no segundo turno de 2014, com Mano, primeiro e segundo turnos de 2015, sob o comando de Tite, e agora há chance de Cristóvão já obter essa marca na primeira metade da edição deste ano. O “tetra” dos turnos é uma ambição do Corinthians neste momento de afirmação, e daria ao time a primeira taça do ano: troféu Osmar Santos.

Criado pelo LANCE! em 2004, o Osmarzão é conquistado pela equipe que fecha o primeiro turno do Brasileirão na liderança. O Corinthians é o maior vencedor desta premiação, tendo conquistado em 2005, 2011 e 2015 – curiosamente, os últimos anos em que foi campeão nacional. Em 2016, a equipe só depende de si nas rodadas finais para conquistar o objetivo, e terá compromissos diante de Atlético-PR (nesta quarta-feira, fora de casa) e Cruzeiro (segunda-feira que vem, no Pacaembu) para ratificar a sua liderança.

– Vencer fora, uma equipe contra o Inter, faz toda a diferença. Temos outra pedreira, vamos jogar lá (em Curitiba) e esperamos fazer a mesma coisa que fizemos em Porto Alegre. Sabemos que temos que estar lá na ponta até as últimas rodadas e esperamos ter força suficiente para quando ficar na liderança, se manter até o final do campeonato – diz o volante Elias, um dos mais experientes do atual elenco, e campeão no ano passado como titular.

O tetra dos turnos faria o Corinthians igualar o rival São Paulo na soma dos troféus Osmar Santos e João Saldanha (este, concedido ao vencedor do segundo turno). Além dos três Osmarzões, o Timão soma dois Saldanhões, enquanto o Tricolor possui seis troféus da premiação criada pelo L! na soma total.

De ponto em ponto e meta em meta, o Corinthians mostra que é possível sonhar com mais um título ainda neste ano. Não estes simbólicos, e sim o do Brasileirão.