Gabriel Carneiro
12/08/2016
06:30
São Paulo (SP)

Boa parte da torcida do Corinthians pode nunca ter ouvido falar do “Grêmio Show”, mas os conceitos de jogo daquele time até hoje orientam decisões e comportamentos de Cristóvão Borges. E mais do que isso: foi por causa do Grêmio tetracampeão gaúcho em 1988 que o então meio-campista decidiu ser técnico de futebol, por influência de Otacílio Gonçalves, que naquela época era seu comandante.

Quase 30 anos depois de defender a camisa do Grêmio como jogador, Cristóvão enfrentará o clube pelo qual tem carinho em momento delicado de sua curta passagem pelo Corinthians na função de técnico. Chamado de burro no empate com o Cruzeiro, alvo da ira da Fiel nas redes sociais e sem vencer há dois jogos, ele se inspira nos tempos antigos para evitar esse jejum pelo Corinthians. O reencontro será neste domingo, às 11h.

– Aprendi muito com o Otacílio como treinador, especialmente em como lidar com grupo. Ele gostava do futebol bem jogado também. A gente jogava o futebol que se joga hoje, sem volante marcador, um time que dificilmente alguém dava três toques na bola. Esse time é apelidado de Grêmio Show, pela qualidade técnica no passe. O Otacílio tem algumas coisas que gosto, que admiro – diz, ao LANCE!, Cristóvão, que tentará erguer o “Corinthians Show” a partir deste domingo. Missão dura.

Ao lado de Cuca (sim, o atual técnico do Palmeiras), Bonamigo (sim, o ex-técnico do Palmeiras) e Valdo (sim, aquele que jogou até outro dia), Cristóvão formou o meio-campo do Grêmio no fim dos anos 80 e foi de lá para a Seleção Brasileira. Nas conversas com Otacílio Gonçalves, decidiu que gostaria de ser treinador para formar uma equipe como aquela.

Cristóvão está na função há apenas cinco anos, já foi elogiado publicamente por Otacílio como “uma liderança que não precisa dar pontapé na porta”, mas segue em busca do objetivo. Está difícil... Contratado pelo Timão há menos de dois meses, ele até tem números positivos, mas os três empates seguidos como mandante e as duas derrotas fora de casa abalaram a confiança interna e da torcida.

Domingo de manhã, respirando o ar de Porto Alegre, Cristóvão terá nova chance de renascer a confiança perdida. Sem pontapés na porta.

QUEM É A INSPIRAÇÃO?

Otacilio Gonçalves
Otacílio parou de dirigir times, mas ainda inspira (Foto:Divulgação)

NOME: Otacílio Gonçalves da Silva Júnior
NASCIMENTO: 16/6/1940, em Santa Maria (RS)
CLUBES COMO TÉCNICO: Internacional, Atlético-PR, Coritiba, Grêmio, Pinheiros-PR, Portuguesa, Paraná, Palmeiras, Atlético-MG, Yokohama Flugels (JAP), Gama e Santa Cruz. Foi auxiliar técnico de Falcão na Seleção Brasileira, 1990.
TÍTULOS: Gaúcho (Grêmio*), Paranaense, quatro vezes (Atlético-PR, Pinheiros, Paraná e Paraná), e Brasileiro Série B (Paraná).
* comandou Cristóvão Borges