Gabriel Carneiro
09/12/2016
12:22
São Paulo (SP)

Oswaldo de Oliveira comandou o Corinthians em apenas oito partidas, mas estará à frente do compromisso mais importante de 2016 neste domingo, às 17h, contra o Cruzeiro. A partida no Mineirão marcará a última rodada do Campeonato Brasileiro e é decisiva para as ambições do Timão, que está em sétimo lugar e briga por uma vaga na Libertadores. O problema é que o time de Oswaldo não depende apenas de si, mas também de um tropeço de Atlético-PR ou Botafogo por esta classificação. E é aqui que está a dificuldade.

- Não é fácil. Muito pelo contrário. É difícil. Mas nós vamos tentar - admitiu o técnico.

- Temos consciência da importância da Libertadores. É uma ambição e uma determinação. Acima de tudo uma vontade muito grande que temos. Então vamos buscar, fazer o que for possível. Quanto maior o obstáculo, maior a preparação para ele. E nós queremos esse obstáculo. Procuramos criar um clima de decisão, porque é a oportunidade que nós temos. Vamos jogar com muita atenção e determinação para conseguirmos uma chance de classificação.

Oswaldo de Oliveira soma duas vitórias, quatro empates e duas derrotas desde que foi contratado pelo Corinthians, há menos de dois meses. Ele assumiu o time na sétima colocação do Brasileiro e ainda não mudou de posição. A mudança definitiva pode acontecer neste fim de semana, em caso de vitória sobre a Raposa e uma combinação de resultados favorável. Oswaldo admite que não imaginava chegar à última rodada na dependência de outros placares.

- Sinceramente no meu início não fiz essa perspectiva, estava chegando e não sabia em que ponto as coisas estávamos, até onde eu poderia interferir. Mas recentemente, diante dessa possibilidade, temos que encarar, tentar, buscar até o final. Minha perspectiva era de conseguir uma classificação. E ainda estamos buscando - explicou.