LANCE!
12/10/2016
13:58
Chapecó (SC)

Oswaldo de Oliveira, enfim, se pronunciou. Depois de acertar sua ida para o Corinthians e de o Sport, na noite da última terça-feira, confirmar em nota oficial a saída dele do clube, o treinador concedeu entrevista coletiva nesta quarta, após derrota do clube pernambucano para a Chapecoense 3 a 0. Em poucas respostas, ele confirmou a ida para o Timão e justificou por que abandona o trabalho no Leão da Ilha na reta final do Brasileirão.

Segundo Oswaldo, o principal motivo para deixar o Sport foi o temor de não ser mantido no cargo para a próxima temporada. Ele também revelou que já havia recebido outras ofertas do Corinthians.

- Desde a saída do Tite recebi três convites do Corinthians e resisti aos três. Agora a diferença foi que senti que não tinha firmeza a possibilidade de ficar no Sport ano que vem. Tenho exemplos anteriores, saí do Flamengo faltando dois jogos no ano passado, então não posso mais passar por esse tipo de coisa - comentou o treinador, que deixa o clube pernambucano após 34 jogos e apenas 35,2% de aproveitamento.

O Sport corre risco de entrar na zona de rebaixamento do Brasileirão nesta rodada. A equipe é a primeira fora da zona de rebaixamento, com apenas um ponto a mais que o Internacional, 17º colocado. Mesmo assim, Oswaldo acredita deixar um bom legado:

- Agora o Sport pode seguir, reagir e ficar na primeira divisão. O trabalho aqui teve um início já com o ano em andamento, reformulamos e hoje é uma equipe com padrão de jogo - opinou.

Oswaldo de Oliveira volta ao Corinthians para a sua terceira passagem. Ele já dirigiu o clube entre 1999 e 2000 e também em 2004. A escolha dele foi bancada pelo presidente Roberto de Andrade, que contrariou outros membros da cúpula alvinegra, que desejavam Eduardo Baptista e Roger Machado.

O novo comandante alvinegro deve ser apresentado no Timão nesta quinta-feira e pode já comandar a equipe diante do América-MG, domingo, na Arena.

- Sobre o Corinthians quando eu me apresentar lá vamos falar. Mas sobre Sport, saio porque minha situação aqui ficou indefinida, não houve condição de seguir - finalizou Oswaldo.