Cristóvão contra o Santos

Derrota na Vila Belmiro foi a quarta seguida do Timão como visitante no Brasileiro (Foto: Ivan Storti/Lancepress!)

Gabriel Carneiro
11/09/2016
19:23
Santos (SP)

O Corinthians perdeu pela quarta vez seguida como visitante no Campeonato Brasileiro, mas o gosto dos 2 a 1 sofridos diante do Santos, na Vila Belmiro, foi mais amargo do que o comum. Isto porque o Timão saiu em vantagem aos 36 minutos do primeiro tempo, e só perdeu com gols marcados aos 25 e 40 da etapa complementar. Segundo o técnico Cristóvão Borges, a nova derrota deve-se especialmente ao descumprimento de uma determinação no intervalo.

- Orientação era para continuarmos do mesmo jeito, mas jogar o jogo inteiro colocando pressão é complicado. A bola estava indo e voltando, e isso facilitou a ida do Santos para cima. Era natural que fizessem pressão. Fizemos um primeiro tempo muito bom, tivemos oportunidade até de definir a partida, porque criamos para isso. Só que jogamos marcando pressão durante um tempo, e é difícil fazer isso durante 90 minutos. Passamos a ter dificuldade de prender a bola no ataque, a bola estava indo e voltando com muita rapidez. As mudanças foram nessa tentativa - explicou o técnico do Corinthians após a derrota.

Cristóvão fez suas três alterações no segundo tempo: Marquinhos Gabriel na vaga de Gustavo aos 20 minutos do segundo tempo, Willians no lugar de Giovanni Augusto dez minutos depois e, por fim, Romero substituiu Lucca aos 41 da etapa complementar, logo após o gol da vitória do Santos. Na coletiva após o jogo, o treinador explicou que Marquinhos Gabriel entrou para que o time conseguisse prender a bola no campo ofensivo e Willians foi acionado para que a marcação mantivesse o ritmo nos minutos finais, já que Giovanni Augusto estava desgastado fisicamente.

- O Giovanni estava desgastado. Ele não pediu para sair nem nada, mas eu vi, porque a recomposição não era a mesma. Então coloquei o Willians para que a gente mantivesse a marcação que estava tendo - explicou Cristóvão, que acha a falta de regularidade um dos principais problemas do Corinthians no momento.

- Lógico que isso não pode ser uma constante, não podemos passar o campeonato inteiro perdendo, porque nossas chances diminuem. Nosso trabalho diz que as ultimas partidas dão esperanças, porque a equipe apresentou coisas boas. Teve oscilações, mas buscamos uma estabilidade maior e temos essa possibilidade. Temos que encontrar isso rápido para ter uma performance mais constante - relatou.