LANCE!
17/02/2017
11:12
São Paulo (SP)

O Corinthians jogou três vezes na Arena em 2017, contra Ferroviária, Santo André e Novorizontino e estas partidas estão entre os dez piores públicos do estádio em 90 vezes que o time entrou em campo em Itaquera.

Apesar do retrospecto ruim atualmente, o Timão ainda conta com média de 31.405 torcedores e um tíquete médio de R$ 59,62. Se comparado ao rival Palmeiras, por exemplo, o público em média é maior. No Allianz são 30.170 pessoas e valor do ingresso mais caro do que na Arena: R$ 69,60.

Mas o início de temporada preocupa e Amir Somoggi, colunista de finanças do LANCE!, acredita que a situação ruim atual tem causas dentro e fora de campo:

Corinthians vive um drama

A situação atual do Corinthians com sua arena é um momento dramático. Os baixos públicos atuais escancaram a real situação do clube e sua arena.

Os custos elevados de construção e a necessidade de gerar receitas obrigaram o clube a subir o preço dos ingressos.

A empolgação inicial do torcedor com a nova casa e bom desempenho do time nas mãos de Tite ajudaram a encobrir essa situação caótica.

O problema é que gestão da arena sempre foi péssima, desde o início as receitas ficaram todas concentradas na venda de ingressos. Não houve sucesso nos naming rights, camarotes e cadeiras premium para empresas. Além do conceito de multiuso, com muitas atividades em dias sem partidas.

O torcedor desapontado com o time, em uma competição como o Paulistão mostra como a situação é grave. Com pouca torcida o clube nunca pagará essa arena.

Para piorar o time piorou muito seu desempenho e o clube vive uma terrível crise politica, com risco de seu presidente sofrer um impechment.

Esse é mundo atual do Corinthians, que precisa pagar um estádio, cuja única fonte de renda e o bolso do torcedor corintiano.

Incompetência que arruinou as finanças do clube. A casa do Corinthians passou de sonho a pesadelo.