icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
28/08/2015
09:30

Surpresa do Corinthians no clássico contra o Santos, ao substituir Jadson, lesionado, o jovem Matheus Pereira despertou elogios do companheiro Renato Augusto. Segundo o camisa 8, o garoto de 17 anos mostrou que está pronto para ajudar a equipe no Brasileirão, e saiu em defesa do técnico Tite, que apostou no jogador em um clássico decisivo, pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

- Matheus Pereira vinha treinando bem. Não foi mal no jogo do Santos, ao meu ver, e é um grande jogador. Ele estava bem na partida, quando começamos pressionando, mostrou personalidade - analisou Renato, em entrevista coletiva no CT Joaquim Grava, destacando o acerto pela escolha do jovem na partida.

- Todo mundo pede alguém da base na equipe e, quando o Tite bota, é um problema porque colocou um jogador da base? Ele (Matheus) mostrou que podemos contar com ele - ressaltou o meia.

Pereira tem apenas três partidas pelo profissional, apesar de ter sido promovido logo na pré-temporada. Ele chegou a viajar para os Estados Unidos, mas não entrou em campo pela Florida Cup. Nos meses subsequentes, voltou para disputar alguns torneios da base, e depois voltou ao time principal. 

A estreia do jovem jogador ocorreu no amistoso com o ABC-RN, em Natal, quando ele foi escalado como titular do Timão, em uma formação que continha apenas os atletas considerados reservas. Depois, ele jogou os minutos finais do duelo contra o Cruzeiro, no domingo passado, até ser testado como titular contra o Peixe, na última quarta. O técnico Tite também elogiou sua postura e prevê crescimento de maturidade.

- Ele vai amadurecendo, crescendo, evoluindo, adquirindo confinaça... É um jogador tecnicamente apreciável e que busca maturidade maior. Nos primeiros 15 minutos, tivemos volume grande, quatro finalizações de média distância, a linha de quatro do Santos começou a recuar quando ele (Matheus Pereira) tinha a bola, pensando em finalização. Isso é o amadurecimento dele. Mesmo com placar negativo, a bola não queimou no pé. É jogador de articulação, jovem - ressaltou o comandante corintiano.

Surpresa do Corinthians no clássico contra o Santos, ao substituir Jadson, lesionado, o jovem Matheus Pereira despertou elogios do companheiro Renato Augusto. Segundo o camisa 8, o garoto de 17 anos mostrou que está pronto para ajudar a equipe no Brasileirão, e saiu em defesa do técnico Tite, que apostou no jogador em um clássico decisivo, pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

- Matheus Pereira vinha treinando bem. Não foi mal no jogo do Santos, ao meu ver, e é um grande jogador. Ele estava bem na partida, quando começamos pressionando, mostrou personalidade - analisou Renato, em entrevista coletiva no CT Joaquim Grava, destacando o acerto pela escolha do jovem na partida.

- Todo mundo pede alguém da base na equipe e, quando o Tite bota, é um problema porque colocou um jogador da base? Ele (Matheus) mostrou que podemos contar com ele - ressaltou o meia.

Pereira tem apenas três partidas pelo profissional, apesar de ter sido promovido logo na pré-temporada. Ele chegou a viajar para os Estados Unidos, mas não entrou em campo pela Florida Cup. Nos meses subsequentes, voltou para disputar alguns torneios da base, e depois voltou ao time principal. 

A estreia do jovem jogador ocorreu no amistoso com o ABC-RN, em Natal, quando ele foi escalado como titular do Timão, em uma formação que continha apenas os atletas considerados reservas. Depois, ele jogou os minutos finais do duelo contra o Cruzeiro, no domingo passado, até ser testado como titular contra o Peixe, na última quarta. O técnico Tite também elogiou sua postura e prevê crescimento de maturidade.

- Ele vai amadurecendo, crescendo, evoluindo, adquirindo confinaça... É um jogador tecnicamente apreciável e que busca maturidade maior. Nos primeiros 15 minutos, tivemos volume grande, quatro finalizações de média distância, a linha de quatro do Santos começou a recuar quando ele (Matheus Pereira) tinha a bola, pensando em finalização. Isso é o amadurecimento dele. Mesmo com placar negativo, a bola não queimou no pé. É jogador de articulação, jovem - ressaltou o comandante corintiano.