Marquinhos Gabriel

Marquinhos Gabriel participou do treino da tarde desta quarta. Time pode ter mudanças (Foto: Daniel Augusto Jr)

Gabriel Carneiro
27/07/2016
18:23
São Paulo (SP)

O Corinthians iniciou sua preparação para enfrentar o Internacional, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro, com mais um treino fechado no CT Joaquim Grava. Apesar de todo o mistério, o técnico Cristóvão Borges deve promover apenas duas mudanças em relação ao time que empatou em 1 a 1 com o Figueirense no último fim de semana: Fagner volta à lateral direita na vaga de Léo Príncipe após cumprir suspensão e Elias tem chances de iniciar jogando na vaga de Rodriguinho, conforme mencionado pelo próprio treinador na semana passada. 

Em entrevista coletiva concedida nesta quarta-feira, o meia-atacante Marquinhos Gabriel disse acreditar que o Corinthians é mais forte quando Elias está em campo. Sem responder questionamentos diretos a respeito da formação testada por Cristóvão, o camisa 31 se posicionou brevemente sobre o tema.

- (Elias) É um jogador de Seleção Brasileira, qualidade técnica inquestionável. Ele é um pouco diferente do Rodriguinho, que é mais meia, e o Elias tem mais marcação. Vamos ver o que acontece nos próximos dias... Não tirando o mérito dos outros jogadores, até porque o Léo Príncipe fez um belo jogo, mas Fagner é um jogador de qualidade, Elias é de Seleção, e acho que nós ganhamos com os dois em campo - disse Marquinhos, questionado sobre a volta de Fagner na vaga de Léo Príncipe e a possibilidade de escalação de Elias no meio.

Após dois empates consecutivos na Arena Corinthians, o Timão terá dois compromissos fora de casa, contra Internacional no Beira-Rio e Atlético-PR na Arena da Baixada. O primeiro destes duelos terá um gosto especial justamente para Marquinhos Gabriel. O jogador do Corinthians foi revelado no clube de Porto Alegre, mas não teve muitas chances como profissional e foi emprestado diversas vezes. Em abril deste ano ele foi contratado pelo Timão por R$ 10,5 milhões e foi titular em 16 dos 17 jogos pelo clube. Hora da vingança?

- Eu tive muitas lesões lá, isso acabou fazendo com que minha carreira não tivesse sequência lá, mas não tenho mágoa. Vou buscar sempre fazer meu melhor e quem sabe um golzinho lá. Mas o Inter é um adversário perigoso, sempre forte dentro de casa. Se nós fizermos um jogo defensivamente muito bom a possibilidade de vencer é grande - explicou o camisa 31 alvinegro.