Gabriel Carneiro
14/07/2017
18:06
São Paulo (SP)

De volta ao time titular do Corinthians neste sábado, às 19h, contra o Atlético-PR, o meia Marquinhos Gabriel trabalha para aproveitar a oportunidade durante a suspensão de Rodriguinho e provar a força do elenco na disputa do Brasileirão. O camisa 31 do Timão se vê em evolução com a camisa do Timão, onde está desde o ano passado, e admitiu ter tido um aprendizado importante nos últimos meses: o DNA do clube.

- A identidade do Corinthians é essa, de marcação forte. Demorei um pouco para entender isso aqui, futebol não é só com a bola no pé. Tenho evoluído bastante nessa parte defensiva e até o fim do ano tenho mais para evoluir. Acredito que posso ser útil - disse o substituto de Rodriguinho, que vê o elenco capaz de superar os desfalques neste sábado.

- No próprio treinamento já estamos cientes do que fazer. Quando a equipe titular está descansando nós fazemos os mesmos trabalhos, o time reserva é espelho do time titular. Estamos bem cientes do que é para fazer em campo. Um grupo vencedor não se faz com 11, se faz com o elenco forte. Já demonstramos isso contra Vasco e Cruzeiro, quando havia desfalques. É manter o mesmo nível de concentração e atuações que no fim do campeonato todos vão avaliar que o Corinthians tinha, sim, um bom elenco.

Marquinhos Gabriel soma apenas 19 partidas neste ano, mas tem bons números: quatro gols e quatro assistências em apenas oito jogos como titular ao longo da temporada. Ele tem 58 atuações pelo clube desde 2016, quando foi comprado do Al Nassr (ARS), por pouco mais de R$ 10 milhões. Enquanto assimila o DNA do Corinthians e tenta provar a força do elenco, o meia respondeu nesta sexta-feira ao técnico Renato Gaúcho, que comanda o vice-líder Grêmio no Brasileirão e disse que o Corinthians "vai despencar".

- Cada um fala o que quiser, eu prefiro comentar sobre nosso trabalho, que é jogo a jogo, procurando manter o mesmo nível de atuação. É esse o foco que precisamos ter, com boas atuações, sistema defensivo consistente. Assim acredito que podemos chegar bem ao final do campeonato. Estamos trabalhando isso a cada jogo e cada um fala o que quiser.

VEJA OUTRAS DECLARAÇÕES DE MARQUINHOS GABRIEL:

OPORTUNIDADE NO TIME
"A gente tem trabalhado para isso quando jogadores ficam suspensos ou vão para a Seleção. Temos nos preparado da melhor maneira possível para a equipe não mudar tanto padrão de jogo e intensidade, essa é nossa vontade para o jogo de amanhã".

BONS PÚBLICOS NA ARENA
"É só ver o ano passado, quando estávamos em um momento ruim do campeonato e a média era 15 mil. É reflexo do que apresentamos em campo, equipe consistente. A gente precisa continuar trazendo eles ao nosso lado, com eles somos mais fortes e espero que eles possam nos ajudar muito".

DISCURSO DE JOGO A JOGO
"Tem que manter os pés no chão. Tem dado certo e não tem porque mudar. É jogo a jogo e assim vamos seguir, jogando bem, com boas atuações. Esse caminho tem dado certo".

SOBRE FÁBIO CARILLE
"Propostas são reflexo do trabalho dele, isso tudo é merecimento, o que ele tem feito com essa equipe rende aplausos, estamos trabalhando muito bem defensivamente, como ele falou no começo do ano, e na frente falavam que não fazíamos muitos gols, mas penso que uma defesa boa ganha títulos. Tendo isso, que foi o que ele passou para todos, é mérito dele. Essas propostas são normais".

O QUE ESPERA DO ATLÉTICO-PR
"Acredito que sim, em jogo de paciência, de rodar bastante a bola, infiltrar bem, achar espaços. Vamos precisar de muita paciência e acredito que faremos um belíssimo jogo".

CONTRIBUIÇÃO DE CARILLE PARA RETOMADA
"Parte muito da confiança que ele teve em mim e me passou e também teve méritos meus. Se eu baixasse a cabeça e deixasse com que as críticas me abalassem não conseguiria dar a volta por cima. Tem a parte dele, tem minha família, que nesses momentos está do meu lado, então agradeço muito a ele e a todo o grupo".

PACTO DE FICAR TODO MUNDO ATÉ O FIM DO ANO?
"Essa questão de sair jogadores não posso falar muito, é de diretoria e dos outros. Fiquei sabendo pela imprensa dessa proposta ao Carille da China, mas é uma demonstração que nem sempre o dinheiro é tudo. Ele tem feito um trabalho bom aqui e se no fim do ano terminarmos campeões, que é o que queremos, virão coisas maiores para todos".

BOM AMBIENTE DO GRUPO
"Acredito que influencia muito. Quando a gente tem uma amizade com a que tem aqui, em campo todo mundo se ajuda, um corre pelo outro, é tudo reflexo do que um sente pelo outro. Todo mundo é amigo, tem poucas brigas, coisa normal que acontece no treinamento... Acho que essa amizade influencia muito dentro de campo".