Guilherme Amaro
24/05/2018
07:00
São Paulo (SP)

Osmar Loss será técnico Corinthians em um jogo pela primeira vez nesta quinta-feira, contra o Millonarios (COL), pela última rodada da fase de grupos da Libertadores da América. O esquema e a escalação serão os deixados por Fábio Carille, mas Loss é bastante diferente de antecessor.

Enquanto Carille é pessoa mais calma, Loss tem uma personalidade forte. É conhecido até por ter um jeito "durão" na forma de trabalhar.

- Ele é mais Mano Menezes do que Tite - comparou um funcionário do Corinthians, lembrando que Carille era conhecido por ter um jeito parecido com o atual técnico da Seleção Brasileira.

O próprio Loss falou sobre suas semelhanças e diferenças com Carille. O novo treinador do Timão evitou analisar a personalidade, mas disse que vê sua forma de trabalhar parecida com a do antecessor.

- Não posso falar na questão de personalidade, porque é muito particular. Dentro do trabalho, pensamos o futebol de um jeito muito parecido, com características de organização e equilíbrio nas funções. O Fábio é um cara muito calmo, que atende a todo mundo. Minha personalidade é diferente, algumas pessoas interpretam como mais bravo, mas é que na base somos educadores também, e talvez precise ter um limite mais curto. Serei um cara que vai ouvir todos os departamentos, com a porta sempre aberta para as pessoas que vão caminhar comigo nessa jornada - analisou Loss.

Outra fama de Loss é de ser um treinador mais ofensivo do que Carille e Tite. Considerado bastante estudioso, ele justificou esse rótulo por conta das goleadas em alguns jogos da Copinha e projetou uma equipe sólida.

- O Corinthians tem que ter a cara do Corinthians, não é do Osmar. Muitas vezes se coloca como essência do treinador. Na Copa São Paulo (de Futebol Júnior), o nível dos primeiros jogos não é elevado, acaba tendo goleadas e dá essa impressão (de ser mais ofensivo). Tem que ser um futebol equilibrado defensivamente, sólido, que vai sofrer poucas situações de gol e que seja eficiente na frente - disse Loss, que chegou em 2013 para comandar o sub-20 e tornou-se auxiliar de Carille após a Copinha de 2017.

Embora rechace a fama, Loss era responsável por ajustar o ataque, enquanto Carille cuidava da defesa. A decisão era de Carille, que atuou como defensor e sentia-se "mais à vontade" para treinar a zaga. O agora ex-técnico do Corinthians também contou que Loss é "mais agitado", mas fez elogios ao novo comandante alvinegro.

- Ele é um pouquinho mais agitado que eu, mas é muito inteligente. Me ajudou muito. É um pouquinho diferente, cada um tem seu jeito e seu perfil - afirmou Carille.

São essas características que Loss passará a mostrar a partir desta quinta-feira. Ele diz estar preparado para o novo desafio. É o que o Corinthians espera.