LANCE!
27/01/2016
12:06
São Paulo (SP)

Cássio já esqueceu a negociação que não teve desfecho com o Besiktas (TUR) e está focado no Corinthians. O goleiro disse que está feliz no "maior clube do Brasil", assumiu que terá uma grande responsabilidade após as saídas de importantes jogadores e pediu paciência à Fiel neste início de temporada.

- Teve a proposta, sim. Primeiro o clube tinha de acertar minha venda para depois eu me acertar. A equipe do Besiktas não sinalizou com tudo o que havia prometido, e eu também não posso ficar esperando. Foi jogo aberto. Não aconteceu, não fui pedir aumento e nem nada. O jogo segue. Estou no maior clube do Brasil, estou focado aqui - afirmou.


Apesar das saídas de cinco titulares de 2015 (Gil, Ralf, Renato Augusto, Jadson e Vagner Love), o goleiro acredita no potencial do elenco para brigar por títulos. Cássio deu o exemplo do ano passado, quando o Timão se remontou no meio da temporada e foi campeão brasileiro. Na ocasião, Fábio Santos, Emerson Sheik e Paolo Guerrero, três jogadores importantes, haviam deixado o clube.

- Saíram dois melhores meias do último Brasileirão, o melhor zagueiro do Brasil na minha opinião, o Love que vinha muito bem e o Ralf que era um dos líderes. Então tem que ter paciência. O time do ano passado levou um tempo para ser montado, foi muito criticado após a eliminação na Libertadores e depois conquistamos o Brasileiro. Tem que ter calma, mas nossa vontade é começar bem o ano, ganhando , mantendo o Corinthians entre os primeiros colocados e buscar títulos - analisou.

Em entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira, no CT Joaquim Grava, Cássio abordou diversos assuntos por cerca de 20 minutos. E é claro que ele teve de responder sobre Alexandre Pato, que já viajou à Inglaterra para fazer exames médicos no Chelsea.

- É difícil se manifestar sobre isso. Eu me dou super bem com ele fora de campo, mas é difícil perguntar essas coisas de negociação e saída. Uns jogadores falam, outros não. Espero que ele seja feliz. Se ele ficar aqui, vamos dar suporte. Se for negociado, que seja feliz - disse Cássio, antes de apontar alguns motivos para que Alexandre Pato não tenha dado certo no Timão.

- No vestiário sempre foi sorridente, de boa, nunca de cara amarrada. Agia como qualquer outro jogador. Pelo fato do pênalti contra o Grêmio, ficou muito marcado. Depois foi emprestado a um rival. Teve algumas publicações dele também, acontece. Até em jogos contra nós. De repente ele não tem o estilo do Corinthians. Não que ele não tenha raça, mas tem isso de dar carrinho, suar. Quem fez isso aqui no Corinthians, teve muito sucesso. Tem de ser assim - completou.

Veja outras declarações de Cássio:

Aumenta sua responsabilidade neste ano?
Aumenta pelo fato de ter jogadores novos e acredito que alguns devem subir da base. Mas é uma situação legal, quando eu cheguei outros me ajudaram, e hoje estou disposto a ajudar também. Converso muito até com o Malcom, não o trato mais como menino da base, como revelação. Ele também tem que assumir o papel um pouco mais de liderança, já está aqui há dois anos treinando com os profissionais. Os jogadores que estão mais tempo aqui têm que encarar que não são mais promessas.

Como foi a pré-temporada nos Estados Unidos?
Da minha parte precisei perder uns quilinhos, cheguei um pouco acima do peso, e agora estou em um grau muito bom. Foi imporante, os trabalhos foram intensos. Algumas pessoas acham que a gente vai para os Estados Unidos passear, mas não é nada disso. Acho que foi bem positivo, o Tite já está conseguindo mostrar o estilo de trabalho dele, vejo todo mundo empenhado e com vontade de ajudar. Temos que ter paciência, a cobrança aqui é muito grande. Perdemos jogadores importantes, é normal levar um tempo para encaixar, mas é jogo a jogo para ir evoluindo.