Gabriel Carneiro
17/05/2016
08:00
São Paulo (SP)

Tite faz o possível para evitar comparações de desempenho entre o time campeão brasileiro de 2015 e o atual, ainda em processo de montagem. Porém, sempre que algum jogador está em xeque, o exemplo de Vágner Love é citado: criticado no início de sua passagem pelo Timão e exaltado antes de partir para o Monaco, da França. Com André, o assunto inevitavelmente vem à tona, já que é ele o suplente de Love no “novo” Corinthians, que iniciou o Brasileirão com empate sem gols com o Grêmio na Arena.

André, substituído aos 32 minutos do segundo tempo, foi bastante vaiado pela Fiel, a quem ainda não conseguiu conquistar. Em 19 jogos pelo clube até o momento, foram apenas cinco gols marcados, sendo o último em 23 de abril, há quase um mês. Em baixa no novo clube, o camisa 9 tem ao menos um bom exemplo para mirar. E é justamente do ex-centroavante alvinegro.

Vágner Love não brilhou no início de sua passagem pelo Corinthians. Longe disso, aliás. Ele marcou apenas duas vezes no Paulistão e passou em branco na Libertadores, quando ainda era reserva de Guerrero. No Brasileirão, já ambientado e forte para superar as críticas, é que Love fez bonito, com 14 gols marcados e a vice-artilharia do Brasileirão. O exemplo a ser seguido por André é ainda mais forte: nos primeiros 15 jogos como titular (exatamente o número que André tem hoje), Love marcou cinco gols. Mesmo número do atual 9. Coincidência?

– Recentemente teve atletas que a torcida pegava no pé, mas nós acreditamos no que é bom para o clube e demos confiança. Houve com Love e Jadson e será assim – disse Edu Gaspar, gerente de futebol do Timão.

Love não teve uma marca negativa forte como a de André, que errou um pênalti decisivo nas oitavas de final da Libertadores, contra o Nacional-URU, mas também foi vaiado e criticado no início de sua trajetória. Agora, a responsabilidade do camisa 9 é superar a onda negativa e se firmar. Love é a inspiração.

ANDRÉ, ANO A ANO, EM JOGOS DO CAMPEONATO BRASILEIRO:

HOME - Sport x Grêmio - Campeonato Brasileiro - André (Foto: Peu Ricardo/LANCE!Press)
André brilhou em Pernambuco (Foto: Peu Ricardo/LANCE!Press)

2009 (Santos) - 9 jogos e 2 gols
2010 (Santos) - 9 jogos e 5 gols
2011 (Atlético-MG) - 22 jogos e 7 gols
2012 (Santos) - 25 jogos e 7 gols
2013 (Vasco) - 27 jogos e 12 gols
2014 (Atlético-MG) - 20 jogos e 3 gols
2015 (Sport) - 29 jogos e 13 gols
Total - 141 jogos e 49 gols

LUCIANO SEGUE ZERADO. VEM OUTRO?

Luciano, do Corinthians
Atacante não marcou gols neste ano (Foto: Agência Corinthians)

A manutenção de André como titular incontestável do Corinthians de Tite é explicada por um argumento simples: ao contrário do que ocorre em outras posições, a titularidade do camisa 9 é pouco ameaçada pelo seu reserva, Luciano. Recuperado neste ano de grave lesão no joelho direito, o camisa 18 já entrou em campo dez vezes ao longo da temporada, sendo seis como titular. Ele, no entanto, ainda não marcou gols em 2016.

No fim de semana dos dias 7 e 8, Luciano perdeu folga para permanecer no CT Joaquim Grava realizando um trabalho especial de recuperação física com o preparador Fábio Mahseredjian. O departamento médico do Timão diagnosticou um pequeno desequilíbrio de força nas pernas, além de ter exigido um processo de perda de peso ao qual o atacante já está sendo submetido. Segundo Tite, Luciano deve “retomar o padrão”.

Enquanto aguarda a retomada de Luciano e a inspiração de André, o Corinthians estuda a possibilidade de se reforçar com outro centroavante para a sequência da temporada. Internamente, já há alguns nomes avaliados.