Bruno Cassucci
10/11/2016
07:30
São Paulo (SP)

O meia Wagner, de 31 anos, já tem apalavrada a sua ida para o Corinthians, mas ainda pode enfrentar um processo burocrático antes de ter confirmada a transferência. Isso porque ele rescindiu unilateralmente o contrato com o Tianjin Teda, da China, clube com o qual tinha vínculo até o meio do próximo ano.

O caso pode até mesmo ser julgado pela Fifa. Isso acontecerá caso o Tianjin Teda não aceite enviar o Certificado de Transferências Internacionais para que o jogador seja registrado pelo Timão. Porém, se os chineses enviarem o documento ou mesmo se não se manifestarem em 15 dias após a solicitação do Corinthians, o processo será mais fácil.

De qualquer forma, as partes acreditam que a regularização de Wagner será rápida. Além disso, há tempo hábil de sobra, já que ele só estreará no Paulistão do ano que vem.

Wagner pediu para rescindir contrato alegando justa causa, já que nem sequer estava registrado no Tianjin. Ele foi afastado após a chegada do gabonês Malick Evouna, que excedeu a cota de estrangeiros da equipe. Na sequência, o meia passou a nem sequer treinar no clube chinês.

O caso de Wagner é bastante parecido ao que aconteceu com Jô, que também foi retirado da lista de inscritos de seu clube na China sem explicação, solicitou a rescisão de contrato e foi atendido, com todos os valores da multa pagos pela equipe.

Wagner atuou apenas 11 vezes neste ano. Ele está em férias nos Estados Unidos com a família e pode iniciar pré-temporada em breve no Corinthians.