Gustavo Herbetta, superintendente de marketing, do Corinthians (Foto: Daniel Augusto Jr)

Gustavo Herbetta, superintendente de marketing, do Corinthians (Foto: Daniel Augusto Jr)

Bruno Cassucci e Gabriel Carneiro
14/04/2016
14:29
São Paulo (SP)

O Corinthians sonha arrecadar até R$ 70 milhões em patrocínio nesta temporada, mas para isso terá de "poluir" um pouco o uniforme. Se confirmar a expectativa, o Timão terá pelo menos 16 estampas além de seu distintivo espalhadas entre camisa, calção e meiões.

A conta é simples. Atualmente o clube já tem nove símbolos em sua vestimenta, afora o escudo: os logotipos da Nike (quatro vezes, na camisa, no calção e nas duas meias), da Caixa, da Tim, da Special Dog e da Winner Play (também dois, um em cada ombro). O departamento de marketing pretende acrescentar mais sete: um patrocinador em cada manga, outros dois no topo e na barra das costas da camisa e um em cada meião, além do brasão alusivo ao hexacampeonato brasileiro.

O número pode aumentar se os meiões e as mangas ganharem os logotipos do patrocinadores também na parte de trás.

O excesso de estampas é reconhecido pelo superintendente de marketing corintiano, Gustavo Herbetta, que pondera:

- No passado o clube também já preencheu outros espaços, como a barra da camisa. Tentamos aprimorar isso ao máximo, melhorando layout e harmonizando cores, como fizemos com a camisa laranja, que só tinha patrocinadores em preto - afirmou, ao L!.

- Buscamos equilíbrio entre a necessidade financeira e a busca por não transformar o manto em uma coisa totalmente comercial, tosca, bizarra - completou.

A "poluição" no uniforme não afeta apenas ao Corinthians. O rival Palmeiras, por exemplo, tem 22 estampas em todo o seu uniforme.