Lucas Faraldo
19/11/2015
23:51
São Paulo (SP)

Há três meses na liderança do Campeonato Brasileiro, o Corinthians garantiu enfim garantiu o hexa - nem precisou esperar a partida contra o Vasco terminar para soltar o grito, já que o Atlético-MG perdeu do São Paulo por 4 a 2 em jogo que acabou mais cedo. A conquista coloca o Alvinegro como maior vencedor do Brasileirão desde 1971, igualando São Paulo e Flamengo. O Timão já havia levantado a taça em 1990, 1998, 1999, 2005 e 2011. A questão que agora paira no ar é: a equipe que triunfa em 2015 é a melhor entre todas as que já conquistaram o Nacional pelo clube do Parque São Jorge?

Para responder à pergunta, a reportagem ouviu Celso Unzelte, historiador do Corinthians. Na opinião do jornalista e autor do Almanaque do Timão, o Timão de 2015 se destaca pela coletividade, mas não é capaz de superar o futebol apresentado pela "Seleção Alvinegra" campeã em 1998 e 1999.

Corinthians Campeão Brasileiro
Times campeões em 90, 98, 99, 2005 e 2011 (Fotos: LANCE!)


– Aquele time era mais espetacular. O time do futebol que a gente sonha. Esse time do Tite é competente, é bem arrumado, mas mesmo a vitória contra o Galo foi muito mais tática do que técnica. Nisso o time do Tite é perfeito. Esse time de hoje fica marcado por Tite, Elias, Jadson e Renato Augusto, que carregaram todos os problemas desse time. Falamos que é um coletivo, um time do técnico, não dos craques. Coletivamente, talvez este time seja até melhor do que o de 98 e 99, mas ali a individualidade resolvia – disse Unzelte.

"Coletivamente, o time atual talvez seja melhor do que o de 98 e 99", disse Celso Unzelte

– Acho que esse Corinthians do Tite está bem postado e se baseia em contra-ataques. Corinthians de 98 e 99 tomava a iniciativa. Se o critério é fazer três no Galo, o time de 98 fez cinco no Galo lá (Atlético-MG 1 x 5 Corinthians, em 8/8/1998). Tudo bem que era um Galo mais fraco... A principal diferença está na proposta de jogo. O Corinthians de 98 e 99 tinha craques em todas as posições – completou.

Um dos maiores ídolos da história do Corinthians e protagonista dos títulos de 98 e 99, Marcelinho Carioca deixou a modéstia de lado em conversa com o LANCE!. Corintiano assumido, o Pé de Anjo confessou se deliciar vendo o Corinthians de Tite, Jadson e Renato Augusto jogar. Mas saiu em defesa do time bi-campeão nacional no fim do século passado.

Marcelinho Carioca Corinthians
Marcelinho Carioca é o quinto maior artilheiro do clube, com 206 gols (Foto: Mauricio Lima/LANCE!Press)


– O Renato Augusto e o Jadson é coisa de dar alegria nos olhos, de ver, de ir no estádio até torcedor do outro time. Os dois são brilhantes. O Gil na defesa mostra muita firmeza também. O Tite se reciclou, é o grande responsável por isso tudo. A equipe do Corinthians tem padrão, defesa, meio e ataque. Time compacto, jogadores rendendo um absurdo – analisou o ex-camisa 7.

"Renato Augusto e Jadson é coisa de dar alegria nos olhos", declarou Marcelinho

– Ainda assim, não tem como comparar com o nosso Corinthians de 98 e 99. Vampeta e Rincón, volantes com qualidade de meias. Ali na frente, o quadrado mágico formado, comigo, Ricardinho, Luizão e Edílson. Não dá para comparar esse time. Na zaga, Gamarra e depois Fábio Luciano. No gol, Dia. Na lateral, Kléber. Talvez hoje o único melhor seja o Fagner, na lateral-direita. Mas mesmo assim, o Índio foi bem pra caramba. Aquele time foi o melhor time da história do Corinthians – acrescentou.

Fato é que o Corinthians é Hexa. Seis diferentes equipes que escreveram seus nomes na história do clube. Umas melhores, outras piores. Todas campeãs.


OS SEIS TÍTULOS BRASILEIROS DO CORINTHIANS

1990 (25 jogos, 12 vitórias, 8 empates, 5 derrotas, 23 gols pró, 20 gols contra)
Pela primeira vez, o Corinthians levantava o caneco de campeão brasileiro. O time treinado por Nelsinho Baptista tinha como destaque a raça dos jogadores, já que não esbanjava qualidade técnica. Embalado com gols do artilheiro Neto, o Timão fez uma primeira fase regular e, no mata-mata, derrotou Atlético-MG, Bahia e São Paulo. Tupãzinho fez o gol do título. 

1998 (32 jogos, 18 vitórias, 7 empates, 7 derrotas, 57 gols pró, 38 gols contra)
Sob comando de Vanderlei Luxemburgo, o Corinthians dava sinais do que viria a fazer nos anos seguintes. Com um time envolvente e ofensivo, liderou a primeira fase e, no mata-mata, despachou Grêmio, Santos e Cruzeiro. Marcelinho Carioca foi o artilheiro do time, e Dinei, o herói das finais.

1999 (29 jogos, 18 vitórias, 5 empates, 6 derrotas, 61 gols pró, 38 gols contra)
Tido como o melhor time da história do clube, o Corinthians (com os recém-contratados Dida e Luizão) voltou a fechar a primeira fase em primeiro lugar. Venceu Guarani, São Paulo e Atlético-MG no mata-mata, sendo o último jogo um 0 a 0 dramático contra os mineiros. Luizão foi o goleador da equipe e Oswaldo de Oliveira, o técnico.

2005 (42 jogos, 24 vitórias, 9 empates, 9 derrotas, 87 gols pró, 59 gols contra)
Chamado de "Corinthians Galáctico", por conta do pacote de contratações proporcionado pela parceira MSI, o time entrou no Brasileirão como favorito. E não decepcionou. Tevez, Nilmar & Cia deram ao Timão seu primeiro título brasileiro da era dos pontos corridos. Márcio Bittencourt comandou o time por boa parte da competição, e Antônio Lopes assumiu na reta final. Tevez foi o artilheiro.

2011 (38 jogos, 21 vitórias, 8 empates, 9 derrotas, 53 gols pró, 36 gols contra)
​Mordido após passar em branco em 2010, ano de seu centenário, o Corinthians de Tite se destacou pela coletividade: Júlio César, Chicão, Alessandro, Ralf, Danilo, Emerson Sheik, Liédson... Diversos jogadores tiveram participação na conquista do penta. Adriano Imperador deixou sua marca na reta final, e Liédson foi o artilheiro. A "final" aconteceu contra o Palmeiras, no histórico 4 de dezembro de 2011, dia da morte de Sócrates.

2015 (35 jogos, 23 vitórias, 8 empates, 4 derrotas, 63 gols pró, 26 gols contra)*
​Mais uma vez sob comando de Tite, o Corinthians se sagrou campeão superando saída de ídolos e desfalques ao longo da competição. Com atuações de destaque de Jadson e Renato Augusto, o Timão jogou um futebol envolvente e pôde soltar o grito de "É campeão!" com três rodadas de antecedência. Jadson e Vagner Love disputam a artilharia do time. 
* Ainda restam três rodadas para o fim do campeonato