Corinthians x Audax (foto:Ale Cabral/LANCE!Press)

É rede! Corinthians tem 48 gols marcados no ano, sendo 13 só pela Copa Libertadores (Foto:Ale Cabral/LANCE!Press)

Gabriel Carneiro
30/04/2016
08:00
São Paulo (SP)

Aspectos ofensivos do remodelado Corinthians de 2016 têm tirado o sono do técnico Tite. Tanto na eliminação do Campeonato Paulista quanto no primeiro jogo das oitavas de final da Libertadores, o comandante do Corinthians citou a falta de precisão da finalização como fator responsável pelos empates – se o primeiro, por 2 a 2, com o Osasco Audax, selou a queda no Estadual, o outro, sem gols, apenas abriu o mata-mata da competição continental. Depois de passar o jogo de ida contra o Nacional sem acertar a pontaria, o Timão se mobiliza para o jogo de volta e leva em conta uma marca importante: em média, a equipe precisa de só 6,1 finalizações para fazer um gol.

Hoje, o Corinthians aparece em estatísticas contrastantes na Libertadores: é o quinto time que menos finaliza ao gol adversário e, mesmo assim, o quinto melhor ataque, com 13 gols marcados em sete partidas. Apenas Rosario Central (14), São Paulo (15), Pumas e River Plate (17) anotaram mais gols que o Timão no mesmo número de jogos – o Boca Juniors, possível adversário das quartas, também soma 13.

Contra o Nacional (URU), na última quarta-feira, o Corinthians finalizou cinco vezes, mas nenhuma em direção ao gol de Conde, o que preocupa Tite e virou foco da preparação no CT Joaquim Grava. Em sete jogos, o Corinthians distribuiu 80 chutes, sendo 27 certos e 53 errados – o número de falhas é quase o dobro do de acertos. Com 13 gols marcados, a necessidade é de um pouco mais de seis finalizações para cada gol, sendo que nove deste total foram anotados na Arena.

– O Tite diz que confiança não é toda hora que tem, então precisamos aproveitar enquanto tem – disse André, camisa 9, de três gols feitos nas últimas quatro partidas.

Quarta-feira é dia de acertar o pé.