Gabriel Carneiro
09/12/2016
13:03
São Paulo (SP)

Ainda resta a última e decisiva rodada do Campeonato Brasileiro a ser disputada neste domingo, mas o Corinthians já começou o planejamento para 2017, independentemente da classificação ou não para a Copa Libertadores. Enquanto não acelera a busca por reforços, diretoria e comissão técnica estão definindo o que fazer com as peças do atual elenco, os que voltam de empréstimo e também os jovens recém-promovidos. Quanto ao comando, não deverá haver novidades. Quem garante é o próprio comandante.

- Eu acho que meu futuro aqui no Corinthians está determinado. Tenho contrato até dezembro do ano que vem e vou dar continuidade - disse Oswaldo de Oliveira em entrevista coletiva nesta sexta-feira.

Dos jogadores que passaram a temporada atual emprestados a outros clubes, o Corinthians pretende usar o volante Maycon, que estava na Ponte Preta, e o lateral-esquerdo Moisés, que subiu para a Série A com o Bahia. Oswaldo de Oliveira também deu sinal positivo para o retorno de Mendoza, que está no New York City (EUA), mas ouviu da diretoria que o colombiano deve ser envolvido em negociação e não voltará ao Parque São Jorge. Quanto aos outros emprestados, o Timão não conta, ao menos por enquanto: Alan Mineiro, Claudinho, Gustavo Viera e Rodrigo Sam.

O Corinthians também planeja o que fazer com os meninos que foram promovidos da base, mas ainda têm idade para a disputar a Copa São Paulo de Juniores em 2017. É provável que Carlinhos, Mantuan e Léo Jabá, os três dentro do limite de idade, fiquem à disposição do time sub-20 neste início de ano. Assim, apenas Rodrigo Figueiredo e Warian seguiriam com o time profissional. Só falta bater o martelo.

- Alguns vão ficar conosco, outros que ainda têm idade vão disputar a Copa. Ainda não definimos totalmente, mas a preferencia é quem puder jogar a Copa São Paulo que jogue, é uma etapa importante do amadurecimento - disse Oswaldo.

Do elenco atual, Willians já foi liberado para retornar ao Cruzeiro, Isaac será devolvido ao Botafogo-SP e Rildo negocia a renovação contratual. Não há previsão de novas saídas.