Romero

Romero não faz gols há seis jogos, e reconheceu não ter ido bem contra o Cruzeiro (Foto: Daniel Augusto Jr)

Gabriel Carneiro
10/08/2016
12:19
São Paulo (SP)

Artilheiro do Corinthians na temporada, Romero já não faz gols há seis jogos, e admite ter jogado mal contra o Cruzeiro, no empate em 1 a 1 desta segunda-feira, pela última rodada do primeiro turno do Brasileirão. Em entrevista coletiva dois dias depois, o camisa 11 do Timão passou por uma verdadeira sessão psicológica, ao responder sobre o desempenho pessoal nas últimas partidas, seu momento de oscilação no clube e até mesmo as vaias da torcida direcionadas ao time e ao técnico Cristóvão Borges - curiosamente, depois de trocar o próprio paraguaio por Marlone, já no segundo tempo do confronto no Pacaembu. Romero se abriu.

- Eu não estava bem no jogo (contra o Cruzeiro). Não estava fazendo bem meu trabalho, infelizmente não tive um jogo muito bom. Mas fico feliz por ter a oportunidade de jogar, tenho que aproveitar essa oportunidade porque a pedi. Infelizmente não está chegando meu gol. A gente está brigando, está lutando, o Marlone entrou muito bem, a torcida está com ele também. Acho que tem que estar com todo mundo também, todo mundo quer que o Corinthians brigue lá em cima e dispute até o fim pelo título do Brasileirão - relatou Romero, que tem 11 gols marcados em 37 jogos neste ano, sendo 23 como titular.

Líder do Brasileirão há duas rodadas, o Corinthians perdeu a primeira e também a segunda colocações da tabela, e hoje está em terceiro, com um ponto a menos que o Atlético-MG e dois a menos que o Corinthians. Já são três empates seguidos em jogos como mandante, o que gerou insatisfação da Fiel torcida a respeito do desempenho do time. Em contrapartida, o volante Elias, que é um dos líderes do elenco, fez um desabafo ao dizer que a torcida do Timão está "parecendo a do São Paulo, que só critica". Elias também pediu apoio a Cristóvão Borges, que foi chamado de burro por uma parte dos torcedores após o jogo contra o Cruzeiro.

- Acho que a postura da torcida é normal, é coisa de troca de treinador, é normal. A gente sempre trabalha pra fazer nosso melhor e agora a gente está brigando. Estamos só dois pontos do líder Palmeiras. Temos que continuar brigando, todos os jogos. A gente sabe da adversidade que vai passar no Brasileiro. É muito difícil, você vê a tabela, todo mundo está junto, brigando para se manter na liderança. A gente melhorou muito depois daquele tropeço que a gente teve no começo do Brasileiro e agora estamos bem, brigando. A gente tem que estar concentrado no nosso jogo, no campeonato, essas coisas (vaias) vão acontecer. É normal, o Corinthians é um time muito grande, quase 40 milhões de torcedores, é normal que vaiem. Então a gente tem que trabalhar só pensando em nós, tratando de fazer sempre nosso jogo - citou Romero, que já se prepara para o desafio de enfrentar o Grêmio em Porto Alegre, na abertura do returno do Brasileirão.

- Difícil, jogo difícil, sabemos que o Grêmio é muito forte em Porto Alegre. Estamos nos preparando, queremos voltar a ganhar, vamos trabalhar agora, o Cristóvão vai falar os erros que a gente cometeu e ir pra Porto Alegre com muita vontade, muita confiança. Temos que voltar a ganhar um jogo contra um time direto. Se a gente ganhar, podemos ficar na liderança. A gente sabe do adversário, jogo difícil, mas temos capacidade pra ganhar.