Bruno Cassucci e Gabriel Carneiro
23/11/2016
17:55
São Paulo (SP)

- Saí da festa do título do Brasileirão do ano passado quase em coma alcoólico. Se eu acordasse só hoje, ia parecer que nosso time caiu para a Série D, que nossa gestão é a pior entre 80 clubes do Brasil, parece que fazemos tudo errado.

Superintendente de marketing do Corinthians na gestão do presidente Roberto de Andrade, o executivo Gustavo Herbetta aproveitou a entrevista coletiva de apresentação da Florida Cup-2017 para fazer um desabafo sobre o momento do Timão. Em semana de noticiário turbulento, como o pedido de impeachment do mandatário encaminhado ao Conselho Deliberativo, o dirigente criticou a cobertura de parte da imprensa sobre os problemas do clube e disse que teme impacto negativo no setor comercial.

- Até agora, em relação à marca Corinthians, não perco oportunidades de venda, então não impactou. E espero que esse movimento infeliz que vem sendo feito não impacte. Algumas notícias infelizes e irresponsáveis que são divulgadas impactam para acordos de longo prazo, como naming rights. Estamos falando de R$ 400 milhões, marcas internacionais, e alguém coloca que o estádio vai cair, que pode sofrer um acidente como o de Mariana por conta de um vazamento de um ano e meio atrás já resolvido. Como você fala que um estádio vai desabar? Falar de investigação na Operação Lava Jato é justo. Maracanã também, Arena Pernambuco... Isso é justo, ok. Se a empresa que negocia com o Corinthians quer esperar é justo, não tem problema. Agora além disso, todo dia ser veiculado uma ou duas notícias, um ou dois emails que vazam, especulações, aí não dá. Alguma coisa está errada - declarou Herbetta, que questionou vazamentos de informação no clube justamente em uma temporada marcada por insucessos em campo.

- Todos os emails são do ano passado, nada do que está sendo dito é da gestão do Roberto. Por que está saindo agora? Por que ninguém para, olha e vê que tem alguma coisa errada? Tem algum interesse. Não sou do futebol, não sabia do Estatuto, mas alguma coisa que está errada. Por que não saiu no ano passado? Porque estávamos dando show em campo e não era interessante falar mal da gestão - disse o dirigente.

Gustavo Herbetta ainda defendeu a gestão do presidente Roberto de Andrade, que teve preocupação com saneamento de dívidas em 2016, o que pode ter causado maus resultados em campo: eliminação nas semifinais do Paulistão, oitavas da Copa Libertadores e quartas de final da Copa do Brasil, além do atual sétimo lugar no Campeonato Brasileiro, condição que não garantiria vaga na próxima edição da Copa Libertadores.

- Eu acho uma infeliz coincidência essa parte política estar tão atrelada aos resultados. O Roberto teve o objetivo de sanar as finanças do clube, assumiu com uma dívida assombrosa. O Corinthians não tem dinheiro porque está pagando essa dívida, fazemos uma gestão muito justa e correta. Esse patrocínio paga isso, aquele paga aquilo. E nesse mês atrasou pagamento de patrocinador, três pagamentos. E nossa conta é justa, então houve os atrasos (de salário) - declarou o dirigente, que enumerou fatos positivos sobre o clube.

- Em 2016 o Corinthians quase bateu recordes de captação de recursos na história. Fizemos mais de 150 reuniões de prospecção de patrocínios, a imagem é positiva, porque o Corinthians entrega resultado, ativação, visibilidade, coisas que o mercado almeja. Tanto é que esse ano trouxemos uma marca européia que nunca havia investido. O Corinthians tem problema de imagem? Não tem. Mas entram com impeachment falando em problema de imagem. Criou-se um problema? Eu tenho pouquíssimo contato com a política, felizmente o Roberto blinda a gente de tudo, sou cobrado pela diretoria para estar no mercado, apenas isso. Temos crescimento, recorde de faturamento, dobramos meta de licenciamento, dobramos sócios-torcedores e mantivemos, atingimos 1 milhão de torcedores na Arena. É só dado positivo.