Rogério Micale e Oswaldo de Oliveira

Técnico do ouro olímpico nacional esteve no CT do Corinthians na manhã desta terça-feira (Foto: Gabriel Carneiro)

Gabriel Carneiro
01/11/2016
13:11
São Paulo (SP)

O Corinthians seguiu sua preparação para o importante clássico do próximo sábado, contra o São Paulo, com uma notícia animadora e um visitante especial no CT Joaquim Grava nesta terça-feira. A novidade positiva do dia veio do departamento médico: substituído do jogo contra a Chapecoense com dores na coxa direita, o goleiro Walter não teve lesão diagnosticada e fará tratamento convencional para atuar na próxima rodada do Brasileirão. Apesar do camisa 27 seguir como dúvida, ao menos as expectativas são positivas.

Ainda sem Walter em campo, Oswaldo de Oliveira passou boa parte do treino desta terça-feira conversando com Rogério Micale, técnico da Seleção Brasileira nas categorias sub-20 e sub-23 e que recentemente conquistou o inédito ouro olímpico no Rio de Janeiro. Micale pretende intensificar estudos nos centros de treinamento dos grandes clubes brasileiros e o Timão foi um dos primeiros locais visitados.


No CT Joaquim Grava, Micale papeou longamente com Oswaldo e ainda cruzou com diversos jogadores que já comandou na base da Seleção, como Guilherme Arana, Léo Jabá e Léo Santos. O primeiro dos três meninos, aliás, não participou do treino desta terça porque ainda trata um desconforto na região abdominal, mas apareceu no campo indicando que está próximo da recuperação. Rildo foi outro que não treinou - ele já havia deixado o treino do dia anterior com dores e não se recuperou a tempo da atividade desta terça. Uendel, por fim, participou só de parte da atividade.

Oswaldo comandou dois trabalhos no segundo dia de preparação para o clássico: o primeiro foi um treino técnico de posse de bola em que o objetivo era trocar 40 passes sem o adversário fazer o desarme. O grupo foi dividido em quatro grupos e atuaram dois contra dois, um duelo em cada metade do gramado. Depois deste trabalho, os titulares foram liberados e só os reservas permaneceram em campo para outro treino técnico, desta vez oito jogadores contra oito. O trabalho era de marcação pressão e eficiência em tomada de decisões e transcorreu sob sol forte.