Fagner, do Corinthians

Fagner tem dois gols marcados e cinco assistências pelo Corinthians só nesta temporada (Foto: Agência Corinthians)

LANCE!
13/05/2016
18:39
São Paulo (SP)

O ambiente do Corinthians está inquieto, e não só graças às eliminações nas semifinais do Campeonato Paulista e oitavas da Copa Libertadores. Nesta semana, o clube se aproximou de negociar o zagueiro Felipe com o Porto (POR) e aguarda oficializações de interesse em outros jogadores badalados, como Elias, Cássio e Fagner. Jogador do Timão desde janeiro de 2014, o lateral-direito decidiu ignorar as notícias e assegurou que não tem propostas para sair. E que nem pensa no assunto.

- Eu falo por mim, não tenho propostas. No Brasil, quando há uma equipe que começa a se destacar é difícil, pois os clubes de fora vem de forma pesada. É complicado para o clube segurar atletas. Mas nós (jogadores ) temos que pensar rodada a rodada, não adianta pensar no amanhã porque não sabemos como será. O foco agora tem que ser no Grêmio, para conseguir os três pontos e começar bem - afirmou o camisa 23 do Corinthians, focado na primeira rodada do Campeonato Brasileiro.

O Corinthians começa vida nova neste domingo. Às 16h, na Arena, recebe o Grêmio na abertura do Brasileirão. A campanha é de defesa da conquista do ano passado, mas desta vez sem os seis titulares que terminaram 2015 no clube e hoje estão pelo mundo: Gil, Ralf, Renato Augusto, Jadson, Malcom e Vágner Love. Novas saídas de campeões brasileiros, aliás, não estão descartadas. Além de Felipe, que ainda negocia, o nome mais próximo de deixar o Parque São Jorge é Edilson, reserva imediato de Fagner.

Edilson tem proposta do Grêmio e o Corinthians já topou liberá-lo sem custos a pedido do próprio camisa 2, que deseja um contrato mais longo e mais oportunidades, já que entrou em campo apenas dez vezes neste ano. Sobre Edilson, Fagner também deu resposta objetiva.

- Não, não estou sabendo de muita coisa. Se algo acontecer, vamos conversar. Por enquanto é só aguardar. Se for uma coisa que realmente acontecer a diretoria vai se preparar, estudar alguém que possa vir (como reposição). Acontecendo tudo isso a diretoria está preparada - argumentou Fagner, que deve receber a companhia de Léo Príncipe, cria da base e hoje emprestado ao Oeste, como novo suplente nos próximos dias. 

Listado entre os 40 nomes possíveis para convocação à Copa América, mas deixado de lado na listagem final, Fagner sonha em vestir a camisa da Seleção Brasileira, mas não trata o objetivo como obsessão.

- É um objetivo de qualquer profissional, mas tenho que manter os pés no chão. Não posso deixar que uma coisa que não tenho me atrapalhe. Tenho que estar preparado para se for chamado agarrar a chance.