Bruno Cassucci e Rodrigo Vessoni
17/10/2016
11:39
São Paulo (SP)

A crise política enfrentada pelo Corinthians só piora. Depois do diretor adjunto de futebol, Eduardo Ferreira, agora é a vez do vice-presidente do clube, André Luiz de Oliveira, entregar o cargo.

Ligado ao grupo que está insatisfeito com Roberto de Andrade, presidente do Timão,  André Negão, como é conhecido, entregará uma carta pedindo para se licenciar da sua função. Candidato a vereador de São Paulo na última eleição, ele já vinha afastado das principais decisões no Parque São Jorge. O LANCE! tentou contato com o vice, mas não teve sucesso. Ao Uol, ele afirmou que o seu cargo é "decorativo" e confirmou que pode sair.

A contratação do técnico Oswaldo de Oliveira foi o estopim para o racha político corintiano. Roberto de Andrade já vinha sendo criticado por não ouvir sócios, conselheiros e aliados e acabou decidindo monocraticamente o novo treinador.

Tanto Eduardo Ferreira como André Negão são muito próximos do ex-presidente alvinegro Andrés Sanchez, que nega ter rompido com a atual diretoria, mas confirma o descontentamento.

- Não estou brigado com o Roberto, não vou brigar com o Roberto, mas a Renovação e Transparência, que é o grupo em que nós estamos desde 2006, acabou. Não tem mais Renovação e Transparência. Existem hoje outros grupos, novos líderes, novas pessoas. Se eu sou o líder, acabou. Dentro do grupo já fizeram outros grupos, e dez anos no poder trazem um desgaste, realmente. Você fala muito não, fala muito sim e descontenta um monte de gente - declarou Andrés Sanchez, em entrevista à TV Gazeta.

Enquanto lida com os problemas políticos, Roberto de Andrade busca um novo diretor de futebol para o Corinthians. Alessandro Nunes, gerente de futebol, vai acumulando funções por ora.