Giovanni Augusto - Corinthians

Giovanni Augusto foi o mais caro entre os reforços do Timão para o ano (Foto: Mauro Horita/AGIF/Lancepress!)

LANCE!
26/02/2016
08:15
São Paulo (SP)

A previsão orçamentária aprovada pelo Corinthians no fim de 2015 já foi contrariada em menos de dois meses. Segundo o documento assinado pelo Conselho Deliberativo, seria necessário arrecadar R$ 45 milhões em venda de jogadores para que o clube pudesse investir R$ 10 milhões em novos reforços e ainda fechasse o ano no azul, com superávit de R$ 3,8 milhões. Em 2014, o clube fechou no vermelho em R$ 97 milhões e, no ano passado os números chegaram a R$ 30 milhões, tornando importante a contenção dos gastos para este ano.

Porém, as vendas de seis titulares entre o fim do ano passado e o começo de 2016 atrapalharam os planos no Parque São Jorge. O clube vendeu Jadson (R$ 6,5 milhões por 30% dos direitos ao Tianjin Quanjian, da China), Ralf (R$ 4,5 milhões ao Beijing Gouan, da China), Gil (R$ 35 milhões por 90% dos direitos ao Shandong Luneng, da China), Renato Augusto (R$ 17,5 milhões por 50% dos direitos ao Beijing Gouan, da China), Vagner Love (R$ 5 milhões ao Monaco, da França) e Malcom (R$ 6 milhões por 30% dos direitos ao Bordeaux, da França). No total, pouco mais de R$ 74 milhões arrecadados, sendo que a maior parte do montante já foi embolsada.

O desmanche do elenco praticamente dobrou a expectativa de lucro do Corinthians com venda de jogadores para 2016, e por isso o clube apostou alto em contratações. Até o momento, dez jogadores assinaram com o Timão, sendo que cinco demandaram investimento financeiro: Guilherme (R$ 5,7 milhões ao Antalyaspor, da Turquia), Giovanni Augusto e André (R$ 17 milhões ao Atlético-MG), Fabián Balbuena (R$ 6,5 ao Libertad, do Paraguai) e Marlone (valor mantido em sigilo pelo Corinthians na negociações com o grupo de investidores dono de seus direitos). Além deles, foram contratados Willians, Vilson, Alan Mineiro, Douglas e Moisés, sem investimento financeiro. Na soma total, o valor já chega a pouco mais de R$ 30 milhões investidos em contratações, o tripo do estipulado originalmente.

A princípio, os números devem ficar por aí. O Corinthians até fez uma proposta de R$ 13 milhões para contratar o atacante Clayton, do Figueirense, mas o jogador de 20 anos preferiu assinar com o Atlético-MG, que realizou uma oferta financeira levemente superior ao clube catarinense e ainda concordou em ceder alguns jogadores encostados em seu elenco. Sem Clayton, o Timão deve fechar o elenco pelo menos até o fim da fase de grupos da Copa Libertadores.