placeholder
Bruno Cassucci e Felipe Bolguese
05/11/2015
07:30
São Paulo (SP)

Dez em cada dez jogadores do Corinthians admitem que estão com as duas mãos na taça do Campeonato Brasileiro de 2015. Mas quais serão as mãos que, no fim, farão o gesto da conquista?

No Corinthians, desde sua passagem anterior, Tite promove o revezamento da braçadeira de capitão. Neste Brasileirão, 11 jogadores dividiram a responsabilidade em 33 rodadas. Cássio, Renato Augusto e Jadson, que estão entre os principais destaques da campanha, foram os que mais vestiram a tarja.

Questionado pelo LANCE! nesta quarta-feira, após entrevista coletiva, o meia Renato Augusto deu seu voto.

– O capitão é o Ralf. Pode haver um revezamento da faixa, mas ele é nosso capitão. Acho que, se a taça vier, ele merece levantar. É justo! – opinou o camisa 8 corintiano.

Ralf não está no topo dessa lista porque, em dado momento, amargou a reserva de Cristian e de Bruno Henrique. Depois, porém, aproveitou a brecha das lesões dos dois para retomar a vaga e sua liderança dentro e fora de campo. Até então, desde 2010, ele nunca ficara no banco.

Mesmo que Tite defina o responsável por simbolizar o título, o gesto não será feito neste fim de semana. Se vencer o Coritiba no sábado, o Corinthians poderá comemorar o Hexa “do sofá”, caso o Atlético-MG não vença o Figueirense no domingo. A oficialização, então, ocorrerá no duelo seguinte, contra o Vasco, no Rio de Janeiro. Para a torcida, a comemoração será no clássico contra o rival São Paulo, no dia 22 de novembro. É provavelmente nesse jogo que o escolhido do treinador fará as honras.

Apesar de Tite minimizar quem é o principal líder e destacar a importância de todos do elenco, o homem que levanta a taça tem sua lembrança especial em cada conquista. Em 1990, o ex-meia Neto foi o capitão do primeiro título brasileiro. Já no bi de 98/99, o ex-zagueiro paraguaio Carlos Gamarra e o ex-volante colombiano Freddy Rincón eram quem levavam a braçadeira. No Tetra de 2005, o atacante argentino Carlitos Tevez simbolizou mais um título.

Na última conquista, já sob o comando de Tite, em 2011, o mérito foi dividido entre o ex-lateral-direito Alessandro e o zagueiro Chicão, que hoje atua no futebol da Índia.

– Acho que agora todos vão levantar a taça. Pelo simples fato de no jogo passado ter sido o Jadson, mas no próximo já ser outro. Pode ser o Gil, Cássio, Elias, Renato Augusto... Acho que vai levantar todo mundo pela solidariedade do time – disse o jovem atacante Malcom.


TAÇA DIVIDIDA EM 2011

Depois da saída de Ronaldo e Roberto Carlos, o zagueiro Chicão havia assumido a braçadeira de capitão do Corinthians. No Brasileirão, porém, acabou virando reserva e Alessandro foi o escolhido. Os dois jogadores estavam no clube desde 2008 e eram os mais experientes do elenco na campanha que rendeu o Penta.

Como Corinthians e Vasco chegaram na última rodada com chances de título, o Timão não levantou a taça após o empate por 0 a 0 com o rival Palmeiras, no Pacaembu. No dia seguinte, na festa de premiação da CBF, Chicão e Alessandro levantaram a taça juntos. O lateral, depois, seria o capitão de outros títulos, como a Libertadores e o Mundial, em 2012...

BRAÇADEIRA NO TIMÃO: QUEM MAIS FOI CAPITÃO NO BR-15

Cássio - 5 JOGOS
Renato Augusto - 5 JOGOS
Jadson - 5 JOGOS

Gil - 4 JOGOS
Elias - 4 JOGOS

Ralf - 3 JOGOS
Fagner - 3 JOGOS

Danilo - 1 JOGO
Love - 1 JOGO
Edu Dracena - 1 JOGO
Fábio Santos - 1 JOGO

OS LÍDERES

Cássio

Herói dos títulos da Libertadores e do Mundial, em 2012, o goleiro virou voz ativa no elenco. Tem postura firme e se posiciona em questões com a diretoria e imprensa.

Gil
Desde 2013 no Timão, o camisa 4 é um dos líderes e virou ainda mais referência após convocações para a Seleção Brasileira.

Ralf
Mais antigo do elenco, volante tem o espírito de raça pra ser exemplo de todos no grupo. É um dos ídolos da torcida e tem peso forte no vestiário.

Elias
Desde que voltou, no ano passado, o camisa 7 admitiu que seria o líder do grupo, usando o exemplo de Ronaldo no passado. Sua postura é firme.

Renato Augusto
Craque do time, tem ideia esclarecida e virou referência de conversa sobre o jogo e também sobre o extracampo. Seu bom momento foi premiado com a convocação para a Seleção Brasileira.

Jadson
Camisa 10 é o grande destaque do Timão na temporada e tem status de principal astro da campanha do quase Hexa.