Corinthians Edu Gaspar

Edu Gaspar é gerente de futebol do Corinthians dese 2011 (Foto: Daniel Augusto Jr)

Bruno Cassucci e Lucas Faraldo
26/11/2015
07:10
São Paulo (SP)

Após se destacar dentro de campo na temporada de 2015, o Corinthians tem planos de brilhar também fora das quatro linhas num futuro próximo. Em entrevista concedida nessa quarta-feira ao LANCE!, Edu Gaspar, gerente de futebol do clube, revelou a intenção de ampliar o Cifut, Centro de Inteligência de Futebol do Timão, e em caso de sucesso criar uma rede de olheiros da agremiação pelo Brasil.

– O que eu gostaria e, se Deus quiser em 2016 eu consigo, é ampliar um pouco mais o Cifut. Ele começou pequenininho e deu resposta, hoje está um pouco mais parrudo. A minha ideia é ampliar um pouco para uma rede externa de observação, como os clubes do exterior têm. Só que eles investem absurdo, entendem que uma boa contratação paga o custo da observação 50 mil vezes mais – explicou Gaspar, que nas últimas semanas esteve na Inglaterra, onde visitou os principais clubes do país.

– Nosso clube está começando a entender isso, que uma boa contratação pode trazer muito recurso no futuro, então a ideia é ampliar um pouco mais, pouco a pouco... Não é rede de olheiro no primeiro momento, é algo bem pontual mesmo. Ficou legal? Apresenta para o presidente e vê se amplia ou não – completou.

O projeto mal foi passado para o papel, mas já tem alguns pontos detalhados na cabeça do dirigente. Ex-atleta do clube, Gaspar sabe a importância de ter gente conhecida dentro de casa. O gerente disse que gostará de contar com ex-jogador do Corinthians na eventual rede de olheiros.

– Assim atende a demanda de ex-jogadores que procuram mercado de trabalho, a questão institucional de o clube ajudar atletas que passaram por aqui e estão soltos no mercado, e também a questão técnica, de conhecimento. Aí damos uma aulinha para ele no Cifut – explicou Gaspar.

Com mais olheiros, a ideia é que o Timão observa mais atletas e saia na frente na captação de reforços, tanto para o elenco profissional, como para as categorias de base. Atualmente, a "caça" por talentos começa internamente, no Cifut, e só depois vai para a observação presencial. Com mais observadores, o Alvinegro pode inverter esse processo.

O primeiro passo já foi dado: o gerente falou sobre o projeto para Fernando Lázaro, analista de desempenho técnico e responsável pelo Cifut. A próxima etapa é levantar custos e dados para apresentar a ideia ao presidente Roberto de Andrade.

EX-JOGADORES QUE ESTÃO HOJE NO CLUBE

Mauro da Silva
Ex-ponta-esquerda, foi campeão brasileiro no Timão
de 1990. Como observador técnico, “conquistou” todas as taças com Mano Menezes e Tite. Iniciou o trabalho do fim de 2007 a 2015.
......................

Edu Gaspar
Revelado no Terrão do Parque São Jorge, o ex-meia jogou no Corinthians de 1998 a 2001 e, depois de 2009 a 2010. Desde 2011, por outro lado, ocupa o cargo de gerente de futebol, sempre antenado em mudanças no clube e nas contratações.

......................

Alessandro
Ex-lateral-direito, fez história no Corinthians de 2008 a 2013 (Paulistão, Brasileirão, Copa do Brasil, Libertadores, Mundial e Recopa). Virou coordenador técnico do clube em 2014. É o elo entre a base e o profissional.

......................

Coelho
Ex-lateral-direito foi revelado pelo Corinthians e jogou no clube e 2003 a 2006. Retornou ao Timão no início deste ano na função de auxiliar-técnico de Osmar Loss no time sub-20.

......................

Fabinho
Após passar pelo Timão de 2001 a 2004 e de 2008 a 2009, o ex-volante Fabinho faz estágio nas categorias de base do clube para virar técnico no futuro.

COMO É HOJE

Olheiros
Atualmente, o Corinthians vai atrás de jogadores conforme necessidade da comissão técnica. O fluxo, portanto, é de dentro para fora. O olheiro (observador técnico) do clube é Mauro Silva. Fábio Carille, auxiliar-técnico, no entanto, também “ataca de olheiro” conforme necessário.

Cifut
O Centro de Inteligência de Futebol do Corinthians atualmente conta com oito funcionários. A equipe trabalha em uma sala no CT Joaquim Grava e tem como missão analisar dados sobre jogadores e equipes rivais, além do próprio elenco, e repassar à comissão técnica.