Bruno Cassucci e Gabriel Carneiro
15/06/2016
18:25
São Paulo (SP)

A saída de Tite deixará importantes lacunas no Corinthians para o restante da temporada. Além do treinador, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) também contratou dois auxiliares, Cléber Xavier e Matheus Bachi, e o gerente de futebol Edu Gaspar, que desempenhará função diretiva na Seleção Brasileira. Sem definição a respeito do substituto de Tite no comando técnico, o Timão já escolheu ao menos seu novo dirigente: Alessandro, ex-lateral direito campeão mundial pelo clube e que trabalhava como coordenador técnico do próprio Corinthians desde que pendurou as chuteiras.

Com Alessandro na gerência de futebol, a diretoria do Corinthians passa a mapear o mercado em busca de um substituto para Tite. Roberto de Andrade, presidente do clube, foi questionado a respeito de três nomes na entrevista coletiva em que confirmou a saída de Tite para a Seleção Brasileira: Mano Menezes, Oswaldo de Oliveira e Fernando Diniz. A resposta mais firme foi sobre o primeiro profissional, que já passou pelo Corinthians entre 2008 e 2010 e 2014.

- Mano Menezes não vem trabalhar comigo aqui. Não gostaria, não quero, não é o perfil que gosto. Não dá em duas horas para eu definir perfil e treinador. Pessoal está indo viajar, temos um jogo importantíssimo amanhã (quinta-feira, contra o Fluminense), então não vamos especular, porque todos os nomes vou falar que gosto. Só não quero o Mano, quero novidade, quero outras coisas - argumentou o mandatário, definitivo a respeito do nome do ex-treinador da Seleção, hoje desempregado após a demissão do Shandong Luneng, da China.

Roberto de Andrade, conforme o LANCE! informou, admitiu um apreço pessoal pelo nome de Oswaldo de Oliveira, atualmente no comando do Sport. Ele disse, porém, que simpatiza "com um monte de gente, mas isso não quer dizer nada". A respeito de Fernando Diniz, técnico que eliminou o Corinthians do Paulistão no comando do Osasco Audax, o presidente mostrou um olhar positivo.

- Fernando Diniz é um grande nome, vamos avaliar. É um trabalhador como outro qualquer. Se ninguém der uma oportunidade a um treinador jovem quando ele vai ser um grande treinador? - questionou.

- Não deu tempo de pensar em novo técnico, estou mastigando a notícia. Quero colocar a cabeça no lugar. Perfil do Corinthians não é alternar treinador por qualquer resultado, então a escolha fica ainda mais difícil. Vamos tentar chegar muito próximos, para ter treinador por tempo grande - disse o presidente do Corinthians.

Enquanto não anuncia o nome do novo comandante, o Corinthians será dirigido interinamente por Fábio Carille, funcionário da comissão técnica permanente do clube. Ele já trabalha nesta quinta-feira, contra o Fluminense, na oitava rodada do Brasileirão.