Bruno Cassucci e Gabriel Carneiro
01/05/2016
12:56
São Paulo (SP)

Conversas entre o empresário norte-americano Helmut Niki e dirigentes do Corinthians por meio do aplicativo WhatsApp detalham a compra de 20% dos direitos econômicos do jovem atacante Alyson Motta e também mostram o agente pedindo uma procuração do Timão. Para entender a negociação nebulosa, que causou um racha na diretoria do clube, clique aqui.

O LANCE! obteve trechos dessas conversas, nas quais Niki fala com Fábio Barrozo, ex-gerente das categorias de base do clube, Eduardo Ferreira, diretor-adjunto de futebol alvinegro, e José Onofre, diretor de futebol de base corintiano.

Algumas dos trechos são desconexos e não seguem ordem cronológica. O Corinthians já tem conhecimento das conversas e analisa internamente quais providências irá tomar.

Após a publicação da troca de mensagens, o diretor-adjunto de futebol Eduardo Ferreira entrou em contato com a reportagem para esclarecer que quando se refere a "emprestar jogadores" trata da parceria com o Tigres do Brasil, clube carioca que tem um convênio com o Timão. Ele reitera que não tem qualquer relação com as tratativas de Alyson. Além disso, confirma que foi convidado por Helmut Niki para assistir a uma luta em Las Vegas, mas que não aceitou a oferta.

Fábio Barrozo também procurou o LANCE! e alegou que três das reproduções de conversas são falsas. Ele acredita que pode ter sido utilizado um programa para edição de imagens para fraudar as conversas e, por conta disso, promete fazer um Boletim de Ocorrência.

-Nunca falei de empresário, nunca programei pagamento e nunca falei "vou segurar o jogador para você". O resto está tudo certo- declarou o ex-gerente das categorias de base do Timão.

Atualizada às 16h30