Guilherme marcou o gol da vitória corintiana sobre o Santa Fe em duelo na Arena (Foto: Daniel Augusto Jr)

Guilherme marcou o gol da vitória corintiana sobre o Santa Fe em duelo na Arena (Foto: Daniel Augusto Jr)

Gabriel Carneiro
06/04/2016
08:00
Enviado especial a Bogotá (Colômbia)

Comparações foram e continuam sendo inevitáveis para Guilherme, que assumiu a camisa 10 de Jadson, mas ainda não caiu nas graças da Fiel como o antigo dono da numeração. Utilizado em 11 de 18 jogos oficiais da temporada, o meia deixou as preocupações com o aspecto físico para trás, mas ainda não convenceu tecnicamente - e ele próprio admite. Nesta quarta-feira, às 21h45, Guilherme terá nova chance de provar que o Corinthians fez um bom negócio ao investir quase R$ 6 milhões em sua contratação. Diante do Santa Fe (COL), no estádio El Campín, o camisa 10 reencontrará um adversário que conhece bem. E nem a fé salva.

Guilherme tem seis gols marcados em cinco participações na Copa Libertadores, e três foram justamente diante da equipe colombiana, em 2014, 2015 e 2016 - os dois primeiros pelo Atlético-MG e o último já pelo Timão, na vitória por 1 a 0 da Arena Corinthians. Carrasco do Santa Fe, o camisa 10 do Timão sorriu quando questionado pelo LANCE! sobre o feito. Apesar da empolgação, ele decidiu não fazer nenhuma promessa para o jogo de hoje, que pode definir a classificação alvinegra para as oitavas de final do torneio continental.

- Ah, é bacana, né? Encaro esses números de forma positiva, não tinha como ser diferente - disse, envergonhado.


- Precisamos colocar na cabeça que cada jogo é um momento diferente. Então espero poder conseguir marcar gols, jogar bem e o Corinthians conseguir as vitórias, o que é mais importante. Essa coisa de carrasco a gente deixa para lá - completou.

Guilherme tem só 27 anos, e quase isso de jogos na Libertadores - foram 24. A estreia foi no ano de 2008, com a camisa do Cruzeiro, eliminado nas oitavas de final. Após quatro temporadas fora do país, o meia voltou para defender o Atlético-MG nas edições de 2013, 2014 e 2015. No primeiro ano foi campeão, e depois caiu nas oitavas mais duas vezes. Pelo Timão ele vive sua quinta participação, e sonha com a classificação antecipada para o mata-mata, que pode ser selada hoje. O Santa Fe que se cuide.

- A gente espera vencer, como sempre. O objetivo é sempre buscar a vitória. É um jogo muito difícil, já estive aqui outras vezes e sei como é. Mas são 90 minutos para jogar com sabedoria, mostrar nossas armas e conseguir o resultado - diz o camisa 10.

BATE-BOLA COM GUILHERME
Meia do Corinthians, ao LANCE!

Tite e Guilherme
Meia é homem de confiança de Tite (Foto: Agência Corinthians)

ADAPTAÇÃO AO CORINTHIANS
Na verdade posso dizer que estou feliz de viver uma situação nova na minha carreira e estar podendo evoluir. É uma função nova sim, algo que eu nunca fiz, que é novo para mim, mas estou me adaptando e as coisas vão acontecer naturalmente.

COMPARAÇÕES E COBRANÇAS
Isso é normal do futebol, mas é questão de tempo, como eu disse. Só fiz dez ou 11 jogos, não sei, então é pouco tempo para ter um julgamento. A gente vai construindo, e o Tite dá muito respaldo para ter tranquilidade e fazer o que a gente sabe. No tempo certo, tudo vai acontecer.

QUINTA LIBERTADORES
É minha quinta vez mesmo, nem tinha me tocado. Gosto de jogar essa competição, me identifico pelo grau de dificuldade que ela exige, preparação mental acaba sendo maior do que no restante dos jogos. Já tenho alguns anos disputando essa competição e isso é especial demais. Espero chegar ao título mais uma vez esse ano.