LANCE!
29/09/2016
00:38
São Paulo (SP)

Nem o gol do Cruzeiro, nem e as vaias e críticas de parte da Fiel torcida foram capazes de tirar a alegria de Fabio Carille na noite desta quarta-feira. O técnico do Corinthians comemorou a vitória por 2 a 1 sobre a Raposa, na Arena, e minimizou a cobrança de parte do público, sobretudo o que estava atrás dos bancos de reservas, no setor Oeste.

Alguns alvinegros reclamaram muito da entrada do volante Willians, no segundo tempo, e protestaram antes do jogador substituir Rodriguinho. Após o apito final, os mesmos xingaram o comandante interino do Timão e aplaudiram o treinador adversário, Mano Menezes, que teve duas passagens pelo clube. Carille, por sua vez, preferiu ficar com os aspectos positivos da noite.

- A gente bateu muito nos últimos dias na tecla de sair com vantagem e conseguimos. É uma vitória que acalma nossos atacantes, que estavam pressionados porque não estavam fazendo gols. O Romero fez gol e jogou bem. Sobre a torcida, foram situações de jogo que aconteceram, Rodriguinho colocou a mão na perna e eu precisava sustentar o meio. Coloquei o Willians e liberei o Camacho. A torcida daqui a pouco vai vir com a gente por conta da entrega dos jogadores, temos que administrar isso - opinou.


O técnico interino do Timão mostrou-se satisfeito com a atuação e reforçou que acredita na repetição do sistema tático e também de jogadores. Sobre o placar magro, ele destacou:

- Toda vantagem é importante. Indo para lá com possibilidade de dois resultados é uma possibilidade enorme para nós. Iria me preocupar muito mais se nosso time não estivesse criando. Estamos criando. Pedi muita calma para o Romero na hora de finalizar. A hora certa iria chegar. Até falei na entrevista de ontem que a hora chegaria. Foi hoje. Muitas vezes pesa esse pressão. Atacante vive disso. Pressão incomoda sim.

Sob o comando de Carille, o Corinthians volta a treinar na tarde desta quinta-feira já de olho na partida contra o Botafogo, sábado, fora de casa, pelo Brasileirão.