Bruno Cassucci
18/10/2016
19:02
São Paulo (SP)

Titulares, reservas e até goleiros do Corinthians treinaram pênaltis nesta terça-feira, véspera do duelo contra o Cruzeiro, pela Copa do Brasil. Embora queira garantir a vaga na semifinal do torneio nos 90 minutos, o Timão quer estar preparado para todos cenários, até para buscar a classificação nos chutes dos 11 metros, que acontecerão caso a Raposa vença por 2 a 1, no Mineirão.

Chamou a atenção a forma como o treinamento foi realizado. Oswaldo posicionou todos os titulares no meio de campo, simulando como ocorre durante as partidas, e fez eles irem um a um até a área.

Depois, em entrevista coletiva, o comandante alvinegro explicou que tal "ritual" começou a ser utilizado por ele depois da eliminação em sua primeira passagem pelo Corinthians justamente para o rival Palmeiras.

- Era quartas de final da Libertadores de 1999. Eu tinha outra maneira de treinar pênaltis. Todos batiam, quem fizesse permanecia, quem perdesse saia de campo. Eu ficava até o fim. Me lembro que naquela oportunidade o Dinei fez 17 pênaltis consecutivos. Os goleiros eram Dida, Maurício, Nei, Yamada... Grandes goleiros. Chegou na hora do jogo e ele perdeu. Na véspera fez 17 e no dia perdeu. Brinco até hoje com o Dinei quando o encontro. Há bastante tempo eu uso essa fórmula. O cara bate uma vez só, porque vai ter a responsabilidade, sabe que só vai bater uma, e enfrenta uma situação que vai lembrá-lo o que ele vai passar na hora da cobrança - argumentou.

O aproveitamento corintiano nos pênaltis começou bem, mas depois caiu. Entre os titulares, Giovanni Augusto, Fagner, Rodriguinho, Uendel, Marquinhos e Guilherme abriram as cobranças e marcaram. Depois, porém, todos erraram: Balbuena, Pedro Henrique, Romero, Marquinhos Gabriel e Walter.

Vale lembrar que, após vitória corintiana por 2 a 1 no primeiro jogo, o Cruzeiro se classifica caso vença por 1 a 0. O Timão garante a classificação com qualquer empate ou vitória e até mesmo se perder por um gol de diferença desde que marque duas ou mais vezes.