Arena Corinthians

Arena Corinthians já recebeu 60 jogos oficiais do Timão desde 2014 (Foto: Miguel Schincariol/Lancepress!)

LANCE!
24/03/2016
16:20
São Paulo (SP)

O Corinthians enfim se pronunciou em caráter oficial a respeito dos acontecimentos dos dois últimos jogos da equipe na Arena de Itaquera, quando torcedores dos setores Norte e Leste entraram em conflito com o efetivo da Polícia Militar, que atirou bombas de efeito moral e fez uso de força para dissipar principalmente torcedores organizados que têm protestado na Arena nas últimas semanas. O presidente do clube, Roberto de Andrade, teve uma reunião com o tenente coronel Luiz Gonzaga de Oliveira Júnior e outros oficiais do Policiamento de Choque nesta quarta-feira, e ambos alinharam a necessidade de uma nova postura na relação entre torcedores e policiais. Em nota oficial publicada nesta quinta, o Timão manifestou preocupação e declarou esperar menos problemas nos próximos jogos.

"O Corinthians entende a legitimidade do Policiamento de Choque no que se refere a manter a ordem, ainda que nas dependências de um empreendimento particular. Porém, o clube deixou clara a sua preocupação com a integridade e respeito aos seus torcedores. O Corinthians espera que os atos de violência não se repitam e pede desculpas ao seu torcedor pelos transtornos ocorridos no dia 19 de março", publicou o site do clube, em referências aos confrontos entre policiais e torcedores na saída do jogo do último sábado, contra o Linense.

Torcedores e policiais têm versões diferentes a respeito do acontecimento. Segundo o comando da PM, "a torcida não respeita o poder do Estado", e entrou na Arena Corinthians com faixas de protesto clandestinas. Ainda de acordo com a PM, houve ataque das torcidas no momento em que policiais tentaram esclarecer que não é permitido o procedimento, especialmente em se tratando da organizada Gaviões da Fiel, suspensa dos estádios até o fim do mês em razão do uso de sinalizadores na final da Copa São Paulo de Juniores, em janeiro. Os torcedores, por sua vez, dizem que havia uma emboscada policial preparada para recebê-los na saída Leste do estádio, em direção ao metrô. Ali, houve tiros de borracha, bombas de gás lacrimogêneo e acompanhamento até a estação de forma truculenta.

Segundo a Polícia, este conflito do último sábado rendeu danos às viaturas e machucados a alguns policiais, que teriam sido inclusive atacados com pedras. Não houve registros de torcedores machucados após o acontecimento, mas a mobilização de revolta nas redes sociais foi intensa.

O próximo jogo do Corinthians na Arena será neste sábado, às 21h, contra o Ituano, pela 12ª rodada do Campeonato Paulista. Antes disso, porém, haverá outra reunião de definição de diretrizes entre o clube e a Polícia Militar.

CONFIRA A NOTA OFICIAL DO CORINTHIANS SOBRE AS CONFUSÕES:

Após o primeiro encontro entre o Presidente do Sport Club Corinthians Paulista, Roberto de Andrade, e Oficiais do Policiamento de Choque, com o objetivo de cada um apresentar as suas considerações sobre os problemas ocorridos no último dia 19 de março, quando aconteceu um tumulto atingindo alguns torcedores na saída do estádio, o Corinthians esclarece que manteve sua postura de reprovação e repúdio a atos de violência e se colocou à disposição para colaborar e implantar novas práticas que possam evitar fatos semelhantes.

O Corinthians entende a legitimidade do Policiamento de Choque no que se refere a manter a ordem, ainda que nas dependências de um empreendimento particular. Porém, o clube deixou clara a sua preocupação com a integridade e respeito aos seus torcedores.

Na reunião preparatória para o próximo jogo, que será neste sábado (26), já serão apresentadas algumas propostas, com o objetivo de melhorar essas condutas.

Informamos que haverá outro encontro entre a direção do Corinthians e os Oficiais do Policiamento de Choque na próxima semana para dar continuidade aos trabalhos e avaliar os resultados dos procedimentos operacionais que serão implantados no próximo compromisso do Timão na Arena.

O Corinthians espera que os atos de violência não se repitam e pede desculpas ao seu torcedor pelos transtornos ocorridos no dia 19 de março.