LANCE!
03/10/2016
20:48
São Paulo (SP)

Quase quatro meses depois do primeiro julgamento, o zagueiro Yago foi ao Pleno do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-SP) nesta segunda-feira e teve o recurso acatado pelo órgão: ele obteve a absolvição definitiva no caso de doping em março deste ano, em partida do Campeonato Paulista. O zagueiro do Corinthians foi flagrado por uso da substância betametasona e ficou um mês suspenso preventivamente. 

A pena de Yago no julgamento realizado há quatro meses havia sido justamente de 30 dias, já cumpridos na suspensão prévia. Apesar da decisão daquele momento não impôr mais jogos de gancho para o camisa 3 do Timão, o procurador da 2ª Comissão Disciplinar e o jogador interpuseram recurso contra o veredito. O caso foi fechado nesta segunda, no Pleno do TJD, com absolvição do jogador por três votos a dois. Não há risco de novos recursos e punições.

Três dias antes de uma partida contra o Santos, em março, pela oitava rodada do Paulistão, Yago utilizou a substância betametasona, que faz parte de um medicamento de ação anti-inflamatória para combater dores no joelho e é proibida pelo Regulamento de Controle de Dopagem da CBF e pela WADA (Agência Mundial de Dopagem). Porém, o modo de aplicação intra-articular é permitido, ao contrário dos modos oral, intramuscular, intravenosa e retal.

Joaquim Grava, consultor do departamento médico do Corinthians, já havia sido inocentado da acusação de ter tido responsabilidade no doping de Yago. O profissional havia sido responsável pela recomendação do medicamento que causou o flagra nos exames.