Bruno Cassucci
22/11/2016
16:34
São Paulo (SP)

Embora a relação com o apadrinhado já não seja das melhores, o ex-presidente do Corinthians Andrés Sanchez se posicionou de forma incisiva contra o impeachment de Roberto de Andrade, atual comandante do Timão. Em entrevista ao LANCE!, o deputado federal (PT-SP) disse que interesses políticos e pessoais influenciam no requerimento de destituição, protocolado na manhã desta terça-feira no Conselho Deliberativo do clube.

Andrés Sanchez disse acreditar que tal processo, que deve durar, no mínimo, dois meses, pode prejudicar o clube.

- É lógico que não tem sentido (o pedido). É só ir lá na presidência e saber tudo com o presidente. É gozado pois tudo no estádio passou pelo Conselho, todos os aditivos, tudo foi explicado pelo Luis Paulo (Rosemberg, ex-vice-presidente) e o Ivandro (Sanchez, advogado), da Machado Meyer. Agora todos têm a solução, é incrível! Até o vazamento de água foi explicado pela Odebrecht no Conselho, mas política é querer o poder a todo custo! - afirmou.

- É triste para o clube, que acaba sendo prejudicado - complementou Sanchez.

Mais uma vez o deputado reforçou que não pretende se candidatar à presidência do Corinthians. Ele afirmou que muitas pessoas querem que ele volte ao comando alvinegro, mas disse não ter planos para isso.

Em 2007, Andrés foi um dos líderes do processo de impeachment que afastou do poder do Timão o então presidente Alberto Dualib. Posteriormente, ele acabou se tornando presidente do clube, posição que ocupou até o fim de 2011. Depois, ele trabalhou pelas candidaturas de Mario Gobbi e Roberto de Andrade, que venceram os dois últimos pleitos no Corinthians.

- Acho que não se pensa na instituição. Mas isso (processo de destituição) é até bom para acabar logo com essa situação e não ficar todo dia se falando disso - disse o deputado federal.

Atualmente, Andrés Sanchez não ocupa cargo no clube, mas segue sendo um dos principais responsáveis pela Arena Corinthians. No último dia 10, o Supremo Tribunal Federal aprovou a abertura de inquérito contra ele na operação Lava Jato.