André Negão e Andrés Sanchez

André Negão e Andrés Sanchez, que foi o gerente das obras da Arena, em foto de 2014 (Foto: Reprodução)

LANCE!
22/03/2016
15:36
São Paulo (SP)

Alvo da 26ª fase da Operação Lava Jato e preso em flagrante por posse ilegal de armas nesta terça-feira, André Negão, vice-presidente do Corinthians, é figura conhecida e polêmica da política do clube. Famoso por ser um dos maiores aliados de Andrés Sanchez, ex-presidente do Timão e hoje deputado federal (PT), ele já foi bicheiro e sobreviveu a sete tiros.

André Luiz Oliveira tornou-se ano passado o primeiro vice negro da história corintiana. No entanto, ele sonhava com voos mais altos e almejava se candidatar à presidência alvinegra no futuro. 

Contudo, embora gozasse de apoio entre os associados alvinegros, sabia que chegar ao posto máximo do executivo do clube não era tarefa fácil, sobretudo por conta de seu passado controverso. André Negão já assumiu publicamente ter sido bicheiro.

- Eu escrevia jogo do bicho, fui cambista, fui bicheiro mesmo. Faz muito tempo, não me envergonho - contou à Folha de São Paulo, em 2011.

Antes de se tornar um dos mais influentes cartolas do Timão, ele sobreviveu a sete tiros, em uma suposta tentativa de assalto, que o fez ficar 20 dias internado.

Nos últimos tempos, André vinha se dedicando à política. Ele almejava se candidatar a vereador nas próximas eleições e atuava como secretário parlamentar de Andrés Sanchez, a quem considera como um irmão. Em sua página no Facebook, o vice corintiano costuma publicar fotos de participações em eventos nos quais representava o deputado. Com as notícias desta terça, André passou a ser alvo de ataques de torcedores corintianos nas redes sociais por conta das nebulosas contas da Arena Corinthians.