Bruno Cassucci e Gabriel Carneiro
28/06/2016
07:00
São Paulo (SP)

Além de um zagueiro para repor a venda de Felipe ao Porto (POR) e um atacante para disputar posição com Luciano e André, o Corinthians também deseja a contratação de um lateral-direito para o segundo semestre. O clube já observou alguns nomes, acionou o mercado e nas próximas semanas deve fazer investidas a partir de um perfil já traçado.

O Corinthians deseja um jogador jovem, que ainda não tenha tido todo seu potencial explorado, mas que já tenha mostrado qualidades em competições de alto nível e não represente uma perda técnica muito grande quando Fagner não atuar. Uma referência do clube é trazer alguém como Uendel, que foi bem na Ponte Preta e chegou ao Timão no início de 2014, tendo que esperar um ano pela saída de Fábio Santos para se tornar titular.

O Timão entende que Fagner é um nome interessante ao mercado europeu nesta janela de transferências, não descarta uma transferência, e ainda tem a convicção de que ele será convocado à Seleção Brasileira por Tite e, assim, pode desfalcar a equipe no Brasileirão e na Copa do Brasil. Sem Edilson, que pediu para ser liberado ao Grêmio, o Corinthians contaria só com o garoto Léo Príncipe à disposição para o setor.

Aos 19 anos, o jovem já foi relacionado para quatro jogos – curiosamente, todos após a saída de Tite –, mas ainda não estreou como profissional. Ele estava emprestado ao Oeste/Audax antes do Timão pedir o retorno, o que aconteceu há mais de um mês.

- Nós confiamos no Léo, não é à toa que ele está no elenco. O Cristóvão precisa conhecê-lo mais, só estão trabalhando juntos há uma semana. A gente não sabe se a oportunidade vai aparecer e quando aparecer como o menino vai se comportar dentro de campo. Que tem qualidade e competência para estar aqui, tem. Mas precisamos esperar esse momento de oportunizá-lo ou não. É uma situação que temos que acompanhar. Às vezes o mercado não é tão positivo assim para você substituir ou ter um reserva ou mesmo uma segunda opção para o setor. Todas essas avaliações você precisa fazer antes de contratar. Não pode contratar mais um para ele simplesmente virar uma segunda opção. Uma oportunidade hoje pode virar problema amanhã. Temos de ter calma nas avaliações para trazer segurança no trabalho, para que o Cristóvão possa ter jogadores que somem em campo - explica, ao LANCE!, o gerente de futebol do Corinthians, Alessandro Nunes.

Fagner, que em breve deve ganhar novo concorrente, atuou em 31 dos 36 jogos oficiais do Timão no ano, e é considerado unanimidade, inclusive por Cristóvão, com quem trabalhou no Vasco. Ele tem contrato até o fim da temporada de 2018.