Fellipe Lucena
20/06/2018
07:10
São Paulo (SP)

Os últimos treinos da Argentina indicaram que Jorge Sampaoli irá reduzir pela metade a "velha guarda" da seleção na equipe titular para o jogo contra a Croácia, às 15h desta quinta-feira, em Nizhny Novgorod.

Dos 11 titulares no frustrante empate por 1 a 1 com a Islândia, seis participaram da série de três vice-campeonatos dos últimos anos (Copa do Mundo em 2014 e Copa América em 2015 e 2016): Rojo, Biglia, Di María, Mascherano, Messi e Aguero. Só os três últimos começarão o jogo contra os croatas. Veja abaixo a provável escalação, agora no 3-4-3, e não no 4-2-3-1 da estreia:

Rojo, Biglia e Di María serão substituídos por Mercado, Acuña e Pavón, que não estiveram na Copa do Mundo de 2014 e nem na Copa América de 2015 - Mercado disputou a edição de 2016.

Acuña, escalado por Sampaoli como ala pela esquerda, tem 26 anos e saiu do Racing (ARG) para defender o Sporting (POR). Pavón, ponta esquerda, está com 22 anos e ainda não deixou o seu país: é o principal nome do Boca Juniors bicampeão nacional. Os dois já são parte da geração que provavelmente estará na Copa de 2022, no Catar.

Mercado não é exatamente um novato. O lateral-direito que jogará como zagueiro tem 31 anos, despontou tarde com o River multi-campeão em 2014 e 2015 e só começou sua trajetória na Europa em 2016, no Sevilla (ESP), onde foi dirigido por Sampaoli. De qualquer forma, não é um expoente da geração que luta para não ficar marcada como fracassada.

É possível que o técnico promova uma quarta mudança: a saída de Meza, jovem do Independiente (ARG), para a entrada de Enzo Pérez, do River Plate (ARG). Neste caso, aumentaria para quatro o número de remanescentes de 2014 na equipe titular. Pérez esteve no Brasil e foi titular na final contra a Alemanha, mas não foi chamado para a Copa América em 2015 e 2016.

Cinco dos prováveis titulares de quinta-feira não participaram de nenhum dos vices recentes: Caballero, Tagliafico, Salvio, Meza e Pavón. Otamendi esteve na Copa América em 2015 e 2016, mas não na Copa do Mundo de 2014, enquanto Mercado disputou apenas a competição de 2016. Só Mascherano, Messi e Aguero estiveram nas três.