Marcio Porto e Thiago Salata
07/07/2018
06:00
Enviados especiais a Kazan (RUS)

Fred, Luis Fabiano, Ronaldo (em três Copas), Romário, Careca (em duas Copas), Serginho Chulapa, Roberto Dinamite... Eles têm em comum: centroavantes do Brasil em Copas do Mundo que marcaram gols. Sem balançar a rede em cinco jogos na Rússia, Gabriel Jesus repetiu algo que não acontecia desde a Copa do Mundo de 1974, na Alemanha, quando os "camisas 9" passaram em branco.

A diferença é que César Maluco, do Palmeiras, nem entrou em campo. Mirandinha, do São Paulo, jogou apenas duas vezes num torneio em que o técnico Zagallo atuou sem "homem de área". De 1930 a 1970, apenas no Mundial de 1966, na Inglaterra, o centroavante também não fez gols. No caso foi Alcindo, que também atuou menos do que Jesus: duas partidas. 

Autor de sete gols em dez partidas com Tite nas Eliminatórias para a Copa, Gabriel Jesus é o primeiro jogador da posição a ir a campo cinco vezes com a camisa amarela e passar em branco num Mundial. As chances perdidas do jogador mais novo do grupo (21 anos) abalaram o camisa 9 na Rússia. Gabriel não se negou a falar na triste saída da Seleção Brasileira da Arena Kazan, palco da derrota por 2 a 1 para a Bélgica em duelo das quartas de final.

- Frustrante, frustrante. Eu me cobro muito, trabalhei muito. É difícil, cara, você abdicar de muitas coisas para chegar num torneio tão grande, um sonho que eu tinha. Logo ali, depois da estreia, virou uma obsessão, sonho ficou para trás, já estava vivendo isso. Frustrante, vai ser difícil assimilar. Parece que tiraram um pedaço de mim - afirmou o atacante da Seleção.

Apesar de ter menos de dois anos vestindo a camisa do Brasil e de ter disputado sua primeira Copa, o garoto falou até em temer pelo seu futuro.

- Cada campeonato na minha vida eu levo como aprendizado. Hoje, acho que levei de aprendizado o que é viver isso. Dá até medo do que pode acontecer, do que eu possa achar de mim mesmo, é complicado. Medo de achar, da confiança sair. É difícil - comentou o camisa 9.

Gabriel Jesus, somando também os amistosos que fez com o Brasil, soma dez gols na equipe principal desde que estreou marcando duas vezes, em Quito, na vitória do Brasil por 3 a 0 sobre o Equador, em 1 de setembro de 2016, quando ainda jogava pelo Palmeiras e foi titular na estreia do técnico Tite.

Foram 794 minutos em campo nas Eliminatórias, o que deu a Gabriel uma média de um gol a cada 113 minutos. jesus esteve em campo em 406 minutos na Copa do Mundo. Fez cinco jogos, o que representou a metade do que disputou na qualificação, na América do Sul. O garoto finalizou dez vezes na Rússia, só uma no gol. Nove das suas finalizações foram de dentro da área.

Na conquista da medalha de outo na Olimpíada de 2016, no Rio de Janeiro, o jogador fez três gols. Gabriel Jesus marcou pela última vez justamente na última partida de preparação antes da Copa: fez um na vitória por 3 a 0 sobre a Áustria, em Viena, no dia 10 de junho. Na sexta, o menino não quis nem reclamar de um suposto pênalti não marcado no segundo tempo para o Brasil.

- Não quero mais falar de arbitragem, de lance que poderia ser pênalti... De nada. Falar do jogo. Se o juiz optou não dar o pênalti, vida que segue. Temos de dar os parabéns para a Bélgica - disse o atacante do Manchester City (ING).

Roberto Firmino, o seu reserva, marcou um gol na Copa da Rússia, na vitória da Seleção por 2 a 0 sobre o México, nas oitavas de final.