Lucas Hernández - França

Lucas Hernández, lateral da França (Foto: AFP/JUAN MABROMATA)

Luiza Sá
09/07/2018
07:30
Rio de Janeiro  (RJ)

Com um ataque badalado e recheado de estrelas, a França também mostrou nesta Copa do Mundo uma força defensiva. Os responsáveis por blindar o goleiro Hugo Lloris são Benjamin Pavard, Samuel Umtiti, Raphael Varane e Lucas Hernández. O último, inclusive, tem um sobrenome que já entrega uma de suas origens: a Espanha. 

Em março, antes da convocação definitiva para os amistosos contra Colômbia e Rússia, Hernández escolheu jogar pela Espanha, como naturalizado. O atleta nasceu na França e tem mãe espanhola. No entanto, como atuou no Europeu Sub-19 pela França, ele já não poderia mais atuar na Fúria. Assim, o processo de naturalização foi parado e, um mês depois, ele foi chamado por Didier Deschamps e resolveu atender ao chamado.

- Tenho 22 anos, vivo na Espanha há 18 anos. Quando digo que eles me deram tudo a nível pessoal e futebolístico, é certo. Estudei lá e a minha carreira futebolística também foi lá (Espanha). Também falo melhor espanhol do que francês. A Espanha me deu tudo, mas isso não tira o fato da França ser o meu país - disse Hernández, quando escolheu a França, destacando ainda a importância de Deschamps e Griezmann na escolha.

Filho do ex-jogador francês Jean-François Hernández, que atuou por muito tempo no Atlético de Madrid, ele nasceu em Marselha quase por acidente. Aos 11 anos, Lucas entrou nas categorias de base do time colchonero e não saiu mais.

Hoje, ele é o titular nos "Bleus", ganhando a vaga de Benjamin Mendy, que voltou de uma grave lesão e foi desfalque nos últimos dois jogos. Um dos responsáveis por isso é o brasileiro Filipe Luís. Zagueiro no Atlético de Madrid, ele passou a atuar como lateral após a lesão do companheiro e agradou o treinador. Nesta Copa, é o quinto com mais passes certos e mais desarmes do time. Além disso, é o jogador que mais recebe faltas, com 13.

Suas atuações consistentes fazem com que ele seja um dos jogadores com mais minutos na seleção francesa. Aos 22 anos, ele briga para ser eleito o melhor lateral-esquerdo do Mundial na Rússia.

Vida conturbada fora de campo

A movimentação da vida de Lucas Hernández não se resume apenas ao que ele faz dentro de campo. Em 2017, ele e sua mulher, Amelia, foram acusados e processados por agressão. Lucas cumpriu ações comunitárias e os dois não podiam ficar a menos de 500 metros um do outro. No entanto, em 2018, os dois embarcaram para Las Vegas e se casaram.

Eles foram abordados na volta a Madri e a polícia chegou a cogitar uma prisão por descumprimento da decisão judicial. Isso faria com que ele perdesse inclusive a Copa do Mundo, mas um acordo o deixou livre.