João Mércio Gomes
18/06/2018
14:06
Rio de Janeiro (RJ)

A 'ótima geração belga', enfim, estreou na Copa do Mundo. A vitória diante da modesta seleção do Panamá era esperada, mas a atuação da equipe de Roberto Martínez fez valer as expectativas em Sochi. Não só o resultado por 3 a 0, mas a força em todos os setores mostram que a Bélgica tem reais condições de fazer bonito na Rússia e chegar longe na competição. O meia Dries Mertens abriu o placar e o atacante Romelu Lukaku balançou as redes duas vezes.

O que vale é participar
Antes mesmo de a bola rolar, o Panamá mostrou o espírito de Copas do Mundo. O país nunca havia disputado a competição e deixou claro que só entrar em campo já seria a realização de um sonho. Na execução do hino, o capitão Roman Torres, que fez o gol da classificação nas eliminatórias, se emocionou e caiu em lágrimas. A torcida panamenha foi reforçada por todos - que não belgas - no estádio. De fato, o Panamá foi acolhido em Sochi e saiu de cabeça erguida. O resultado? Pouco importa...


Matador

Lukaku, definitivamente, brigará pela artilharia na Copa do Mundo. O atacante de apenas 25 anos fez dois gols em estilos diferentes: um de cabeça, mostrando presença de área, e outro com muita categoria ao tocar na saída do goleiro em contra-ataque. Ele é o maior artilheiro da história da Bélgica e pode acreditar: é só o começo. O camisa 9 é um dos mais perigosos do torneio.

São tudo isso?
​O primeiro tempo da Bélgica foi frustrante. Favoritíssima, dominou a posse de bola e tentou de algumas formas furar a fechada defesa do Panamá. Mas quase não teve chances nos 45 minutos. Os cornetas de plantão já pensavam se a badalada equipe europeia era mesmo tudo isso que falavam...


São sim!
Bastou dois minutos do segundo tempo para a Bélgica provar que tem uma geração muito talentosa. O meia-atacante Dries Mertens, do Napoli, acertou um chute lindo de primeira para abrir o placar. Depois, o jogo se abriu e cada um pôde mostrar seu potencial. O meia De Bruyne, do Manchester City, errou 16 passes e teve uma de suas piores atuações na temporada e mesmo assim participou da construção dos três gols da equipe. No segundo, deu um passe de trivela, enganando toda a defesa e deixando Lukaku na boa.


Completa
​O que chama a atenção é que a Bélgica mostrou ter todos os setores da equipe bem fortes. No primeiro gol, bola na área e talento de Mertens para bater de primeira. No segundo, jogada trabalhada na posse de bola por Hazard-De Bruyne-Lukaku. No terceiro, contra-ataque fulminante construído por De Bruyne-Witsel-Hazard-Lukaku. E a defesa? Pouco sofreu.

Apenas em um lance que Carrasco, meio perdido como ala-esquerda, não acompanhou Murillo. E nos poucos momentos que Courtois foi exigido, demonstrou segurança total. Até na bola parada surpreenderam: jogadas ensaiadas seguidas de finalização. Vai ser difícil achar um ponto fraco desse time...

FICHA TÉCNICA
BÉLGICA 3X0 PANAMÁ
Local:
Sochi
Árbitro: Janny Sikazwe (ZAM)
Auxiliares: Jerson Dos Santos (ANG) e Zakhele Siwela (AFS)
Data-Hora: 18/6/2018 - 12h
Público: 43.257 presentes
Cartões amarelos: Meunier e Vertonghen (BEL); Davis, Barcenas, Cooper, Murillo e Godoy (PAN)
Cartões vermelhos: -

Gol: Mertens (2'/2ºT - 1x0), Lukaku (23'/2ºT - 2x0) e Lukaku (29'/2ºT - 3x0)

BÉLGICA: Courtois; Alderweireld, Boyata e Vertonghen; Meunier, Witsel, De Bruyne e Carrasco (Dembelè, 28'/2ºT); Mertens, Hazard e Lukaku. Técnico: Roberto Martínez.

PANAMÁ: Penedo; Murillo, Escobar, Torres e Davis; Gómez, Godoy, Cooper, Rodríguez (Díaz, 18'/2ºT), Barcenas (Torres, 18'/2ºT) e Pérez (Tejada, 27'/2ºT). Técnico: Hernán Darío Gómez.