LANCE!
23/06/2018
06:05
São Paulo (SP) 

A Alemanha encara a Suécia neste sábado às 15h (de Brasília), em Socchi, tentando evitar um fiasco que tem sido comum às seleções que defendem o título mundial. Se os atuais campeões perderem e o México confirmar seu favoritismo contra a Coreia do Sul, em jogo que acontece às 12h, a equipe de Joachim Löw será eliminada precocemente. Fiasco desse tipo foi protagonizado por três outros países neste século: a França (2002), a Itália (2010) e a Espanha. Somente o Brasil, em 2006, foi papel digno atuando como o detentor do troféu. Relembre o que acontece em cada edição: 

2002 (COREIA DO SUL E JAPÃO) 
​Campeã pela primeira vez em 98, na condição de país-sede, a França chegou ainda mais forte no Mundial seguinte. Especialmente por ter vencido a Eurocopa dois anos antes. No jogo de abertura, derrota para o estreante Senegal acendeu o sinal de alerta para a equipe, que mantinha a base de quatro anos antes. O empate com o Uruguai por 0 a 0, na segunda rodada, aumentou a pressão para o jogo decisivo contra a Dinamarca. Enfim, Zidane pôde atuar, recuperado de problemas físicos. Não resolveu! Derrota por 2 a 0 e eliminação precoce sem nenhum gol marcado.

2006 (Alemanha) 
​O Brasil chegou ao Mundial com o pentacampeonato amealhado quatro anos antes e um time repleto de astros do meio para a frente. Kaká, Ronaldinho Gaúcho, Ronaldo e Adriano formavam o 'Quadrado Mágico' de Parreira, campeão em 94. O título do ano anterior na Copa das Confederações, vencendo e jogando bem diante de Alemanha e Argentina, aumentou a expectativa. O time passou com tranquilidade pela primeira fase e goleou Gana nas oitavas de final. Nas quartas, porém, esbarrou na França em dia sublime de Zidane e foi derrotado por 1 a 0.

2010 (África do Sul) 
​A Itália chegou ao topo mundial pela quarta vez em 2006. Na primeira Copa realizada no Novo Continente, chegou como uma das favoritas, ainda sob o comando de Marcelo Lippi. E a Azzura decepcionou! Em grupo com duas estreantes no torneio, Nova Zelândia e Eslováquia, e o Paraguai, a equipe não venceu nenhuma partida, empatou duas e terminou na lanterna da chave. 

2014 (Brasil) 
​Atrás do bicampeonato, após o inédito título obtido quatro anos antes, a Espanha chegou ao Brasil com pompa e circunstância. Mas a trajetória foi curta, decepcionante. Começou como um goleada sofrida para a Holanda por 5 a 1 seguida por derrota de 2 a 0 para o Chile. O time ibérico foi para o confronto contra a Austrália já eliminado, para apenas cumprir tabela, e, enfim, conquistou uma vitória: 3 a 0. Já era tarde!