Luiza Sá
07/06/2016
17:29
Orlando (EUA)

Na próxima quarta-feira, a Seleção Brasileira enfrenta o Haiti em duelo decisivo para o futuro dos dois times na Copa América Centenário. A partida contra os estreantes na competição pode trazer paz a um Brasil que aumentou o clima de desconfiança após o empate com o Equador por 0 a 0 na primeira rodada do torneio.

Em 2004, brasileiros e haitianos protagonizaram um confronto que será lembrado para sempre. O Jogo da Paz foi realizado em Porto Príncipe, capital do Haiti, e tinha como objetivo levar os recém campeões da Copa América daquele ano para reforçar uma campanha a favor do desarmamento, da solidariedade e, claro, da paz.

O país, que vivia uma guerra civil, recebeu a seleção canarinho com ruas lotadas, torcedores felizes e muita emoção. Os haitianos estavam por toda parte para ver um pouco daquele badalado e vitorioso Brasil.

O time era comandado por Carlos Alberto Parreira e recheado de estrelas como Ronaldinho Gaúcho e Ronaldo. A partida terminou em 6 a 0 para o Brasil, mas foi extremamente significativa não só para o país, mas para os próprios atletas brasileiros.

- Me lembro de encontrar o Ronaldo pela primeira vez e ele me disse que foi um jogo memorável. Lembro de assistir na TV e o ônibus não se movia por causa dos torcedores. O jogo trouxe paz ao país. Foi um dia importante para o Haiti e para o futebol - disse o meia haitiano Jean Marc Alexandre, jogador do Fort Lauderdale Strikers.