Copa America - Chile x Argentina (foto: Nicholas Kamm / AFP)

Faltas foram corriqueiras durante Argentina e Chile (foto: Nicholas Kamm / AFP)

José Roberto Wright*
27/06/2016
11:04
Rio de Janeiro (RJ)

O brasileiro Heber Roberto Lopes teve uma arbitragem muito tolerante diante da rivalidade que a final de Copa América entre Argentina e Chile exigiam. Ele tolerou uma série de deslealdades para levar o jogo até o fim, comprometendo sua imagem.

A maneira como Heber conduziu o jogo foi semelhante à de arbitragens na Copa Libertadores na década de 1980. Houve muitos episódios de pancadaria, alguns passíveis de expulsão, e apenas um jogador de cada lado deixou o gramado. 

Em um jogo acirrado como Argentina e Chile, é preciso prevenir alguns tipos de falta. Quando um jogador entra disposto a dar pancada, cabe ao árbitro coibir isto desde o início, com cartões e até expulsando.

Além disto, o árbitro precisa mostrar pulso firme diante dos adversários. E esta postura o Heber Roberto Lopes demorou demais a ter em campo.

*José Roberto Wright é ex-árbitro e Especialista em Arbitragem da Academia LANCE!.