David Nascimento
29/11/2016
19:03
Rio de Janeiro (RJ)

O trágico acidente com o avião que levava a Chapecoense e jornalistas brasileiros nesta terça-feira para a Colômbia, onde a equipe disputaria nesta quarta-feira a primeira partida da final da Copa Sul-Americana e que vitimou 71 pessoas, abalou o jovem William Barbio. O atacante, de 24 anos, que tem contrato com o Vasco até o fim de 2017, defendeu as cores da equipe de Chapecó no ano passado onde fez amigos com os quais mantinha contato até os dias de hoje. Emocionado, ele falou com o LANCE! sobre o ocorrido desde o recebimento da notícia que chocou o mundo.

- Recebi a notícia 5h da manhã por minha esposa. Ela e eu fizemos amigos para sempre enquanto estive por lá. Desde cedo estamos falando com as esposas e amigos da cidade que me acolheu tanto bem. O maior desejo que podemos ter nesse momento é o de Deus confortar a todos. Até agora não acredito que perdi tantos amigos. O que falam da Chapecoense ser uma família, uma união gigante entre todos, é pura verdade. Foi uma honra ter tido a oportunidade de pisar em Chapecó com o povo acolhedor e ter defendido as cores da Chapecoense - disse o jogador com a voz engasgada.

A Chapecoense queria no fim do ano passado renovar o contrato de William Barbio, mas Jorginho, então técnico do Vasco, pediu o retorno do atacante. Em São Januário não teve oportunidades neste 2016 e acabou mudando para equipes como o América-MG e o Joinville. Porém, a amizade com os amigos que fez em Chapecó foi além. Um grupo de vídeo-game foi criado com a presença de Barbio e várias vítimas do acidente, como Gil, Ananias, Danilo e Neto. A brincadeira entre os companheiros ia para fora das quatro linhas. E a festa com a classificação para a Copa Sul-Americana foi relatada lá. Há mensagens a serem visualizadas ainda no grupo, mas não há coragem:

- Temos um grupo de vídeo-game com vários jogadores que defendiam a Chapecoense na mesma época do que eu, Neto, Maranhão, Cleber Santana, Gil, Ananias... Depois da classificação da equipe para a final da Copa Sul-Americana foi uma festa lá. Todos animados. Mateus Caramelo também... A amizade era verdadeira. Era nosso momento de lazer, um brincava com o outro. Estava na torcida por todos para a conquista internacional, mereciam muito. Há algumas mensagens ainda no grupo que não tive a coragem de abrir e ler ainda. Está muito complicado para conseguir segurar a emoção.

William Barbio está no Rio de Janeiro desde a tarde desta terça-feira e recebendo mensagens de apoio além de retribuí-las como forma de homenagem aos familiares das vítimas, moradores de Chapecó, no interior de Santa Catarina, e em todos ao redor do mundo que estão com um dia mais triste após o trágico acidente. O atacante não descartou um possível retorno a Chapecoense - o Vasco, que detém seus direitos, assinou nota afirmando a possibilidade de oferecer empréstimo gratuito de atletas para a equipe catarinense começar a se reerguer em 2017. 

- Eu poderia estar nesse voo, você também, qualquer um... Tristeza muito grande. Queria abraçar todo mundo agora. Seria uma honra voltar a vestir um dia a camisa da Chapecoense, mas deixo isso com meus empresários. A dor é enorme e agora é orar e pedir a Deus para que forças sejam dadas. Eles estavam felizes prestes a esta decisão histórica da Sul-Americana e agora são campeões lá no céu... Que as responsabilidades sejam apuradas e que os meios de segurança se intensifiquem para que episódios como esse nunca se repitam. Meu carinho a todos. O mundo está de luto - finalizou.