acidente chapecoense, avião com equipe

Delegação da Chapecoense antes do embarque para a Colômbia  (foto:Reprodução)

RADAR/LANCE!
20/12/2016
18:38
La Paz (BOL)

O governo da Bolívia apontou nesta terça-feira os responsáveis pela tragédia com o avião que levava a delegação da Chapecoense e jornalistas para Medellín, na Colômbia, no último dia 29 de novembro. Segundo o ministro de Obras Públicas boliviano, Milton Claros, os resultados das investigações apontam uma "cadeia de erros", que gerou a morte de 71 pessoas.

- O que aconteceu neste trágico evento é de responsabilidade direta da empresa LaMia e do piloto – disse o ministro, em entrevista coletiva. 

Milton Claros também confirmou que a funcionária boliviana de controle de tráfego aéreo, Celia Castedo, será processada por autorizar o plano de voo, que não tinha autonomia suficiente para fazer a viagem até a Colômbia. O avião teria caído por uma suposta pane seca, ou seja, falta de combustível.

- O plano de voo não deveria ter sido aprovado - concluiu o ministro boliviano, assegurando que haverá aumento da vigilância e do controle sobre voos no país.


O diretor-geral da LaMia, Gustavo Vargas Gamboa, foi detido no último dia 6 de novembro. A Direção Geral da Aeronáutica Civil do da Bolívia  ainda confiscou documentos da empresa, que tive seus escritórios interditados pela polícia boliviana.