2005 - Vágner Mancini (Paulista)

Além de Mancini, chegam Rui Costa e João Carlos Maringá chegam à diretoria, e ex-goleiro Nivaldo passa a ter cargo na gerência de futebol (Foto: Eduardo Viana)

LANCE!
09/12/2016
16:07
Chapecó(SC)

Caberá a Vagner Mancini o árduo desafio de ajudar a reerguer uma Chapecoense abalada pela tragédia na Colômbia. Em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira, o Presidente do Conselho Deliberativo, Plínio David De Nês Filho, confirmou o que vinha sendo especulado desde esta manhã.

Além de Mancini fechar até o fim de 2017, a coletiva trouxe um minuto de silêncio em homenagem às vítimas de Chapecó e o anúncio de quatro novidades no departamento de futebol do clube. Rui Costa será o diretor-executivo de futebol, enquanto o ex-meia João Carlos Maringá ocupará a diretoria de futebol, Marquinhos ficará na preparação física da Chape, e Nivaldo, ídolo que pendurou as luvas recentemente, será gerente  de futebol.

Em suas primeiras palavras na equipe catarinense, Vagner Mancini destacou a chegada à Arena Condá, e garantiu que dará continuidade ao trabalho de Caio Júnior, que foi uma das 71 vítimas do desastre aéreo na Colômbia:

- Gostaria de passar minha satisfação de ser escolhido o técnico para o time que estava encantando o Brasil. Todos acompanharam o crescimento da Chapecoense, o último ano. Fico feliz de dar continuidade ao trabalho que meu amigo Caio Júnior vinha fazendo. O ano que vem será recheado de campeonatos. Chego disposto a ajudar com muito trabalho, nessa estrutura vencedora já há algum tempo -

Mancini estava sem clube desde que deixou o Vitória, onde obteve o acesso à elite em 2015 e conquistou o Baiano de 2016. No Leão, o técnico ficou até a 24° rodada desta temporada, quando o time perdeu por 2 a 1 para o Flamengo, no Barradão e entrou na zona de rebaixamento.

Vagner Mancini também passou pelo Grêmio, Santos, Vasco, Cruzeiro, Botafogo e Atlético-MG. No Paulista ganhou a Copa do Brasil de 2005 e cravou o seu nome no cenário nacional. No ano seguinte, o treinador ficou à frente da equipe que disputou a Copa Libertadores.
 
Mancini não era o primeiro nome cotado para estar à frente da equipe. Anteriormente, Levir Culpi, que chegou a se oferecer via Twitter para trabalhar gratuitamente, era o preferido da diretoria. Porém, o acerto esbarrou no tempo de contrato (Levir ofereceu o vínculo até o fim do Estadual de 2017, mas o clube queria um acerto por toda a temporada).